13 HORAS NA UPA

Família de idosa que esperou 13 horas por atendimento na UPA pede investigação

Por: João Oliveira | Categoria: Saúde | 26-06-2019 09:53 | 7612
Foto de Reprodução

A longa espera de uma idosa na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Sebastião do Paraíso por atendimento, gerou protestos de familiares que pediram apuração do caso pela Câmara Municipal.

A família da paciente pediu em correspondência à Câmara que a Comissão de Direitos Humanos investigue a forma com que os pacientes são atendidos da UPA. Indignação foi causada após idosa ter sido transferida em caráter de urgência para a Santa Casa, após esperar 13 horas por atendimento, com suspeita de infarto.

Segundo relatam, a paciente deu entrada na UPA às 8h30 e aguardou para ser atendida até às 21h30 e, até aquele momento, conforme ressaltaram não se havia constatado o grau de perigo de morte que a paciente idosa, que também é diabética, estava passando. "Após eu questionar um médico conhecido, ele verificou o prontuário e constatou que havia sintomas de infarto em minha mãe, que foi transferida em caráter de urgência para a Santa Casa, onde ficou internada na UTI Cardiológica para passar por procedimentos", disse filha da idosa.

Conforme ressalta a familiar da paciente, o sentimento é de indignação e impotência. "Peço que a Comissão de Direitos Humanos possa investigar a forma de atendimento ao cidadão, uma vez que hoje poderíamos estar em uma situação muito pior com minha mãe, além de não quereremos passar por isto novamente e não nos deparamos com pessoas passando pelo mesmo".

MANIFESTAÇÕES
Marcelo Morais disse que a Comissão de Direitos Humanos da Câmara recebeu a denúncia e que, segundo informações, se não fosse outro médico intervir, essa idosa ficaria por mais tempo aguardando atendimento e com suspeita de infarto.  Marcelo disse que a UPA está sucateada e cobrou providências do município e do secretário de Saúde para resolver a situação. Segundo afirmou, a Comissão de Direitos Humanos ainda nesta semana fará diligências para apurar o caso. O vereador José Luiz das Graças ressaltou que há pelo menos seis anos vem cobrando melhorias na Saúde do município. "Não é primeira e nem a última vez que isso acontece. Quantas vezes já atendemos ligações para ir de madrugada a UPA porque pessoas estão passando por dificuldades. Esta não é nossa função, nossa função é fazer com que o município atenta bem todo o cidadão, todo o paciente, mas não é o que acontece", disse.

O vereador, Luiz Benedito de Paula, membro da Comissão de Direito Humanos, disse que é inadmissível um paciente ficar 13 horas esperando por atendimento. Estas situações não podem acontecer, houve o caso de um conhecido meu que sofreu um AVC. Foi para a UPA onde receitaram um remédio, depois passou mal voltou para UPA onde constataram o AVC e agora está internado. Isto não pode acontecer, a saúde não pode ser mais ou menos, pessoas podem morrer por falta de um atendimento, por falta de amor ao próximo", disse.

O vereador Sérgio Aparecido Gomes também disse que sua indignação não era apenas com a UPA, mas também com a Santa Casa. Disse que constantemente são provocados para amparar pacientes que enfrentam problemas na hora de usar o SUS Fácil. O presidente da Câmara, Lisandro Monteiro, disse que ofícios serão encaminhados para comissões responsáveis, a fim de tomarem providências o mais rápido possível.

O vereador Ademir Ross, presidente da Comissão de Direitos Humanos, afirmou que irá apurar o caso em buscar  resposta para que a Câmara possa tomar providências.

A reportagem do Jornal do Sudoeste entrou em contato com a Prefeitura onde questionou sobre a situação. Em resposta o secretário municipal de Saúde, Wandilson Bícego afirmou que "estamos apurando os fatos, e se necessário tomaremos as providências cabíveis".