25 ANOS EM CENA

Oficina de Teatro Sebastião Furlan comemora sua história com peça “25 anos em cena”

Por: João Oliveira | Categoria: Cultura | 11-07-2019 15:51 | 633
Foto de Reprodução

A Oficina de Teatro “Sebastião Furlan” comemorou recentemente 25 anos de atividade. Em alusão a data, nos dias 19 e 20 deste mês estará em cartaz a peça “25 anos em cena”, sob direção de Kayho Rodrigues e Vanessa Tamaso. A peça será fragmentos de diversos espetáculos que marcaram época e também uma homenagem a todos aqueles que ajudaram a construir a história da Oficina.

Conforme explica Vanessa, uma das diretoras do espetáculo, foram selecionadas diversas peças teatrais que ficaram em cartaz ao longo dos 25 anos, contanto todo uma história com a intenção de homenagear a todos que passaram pela Oficina, entre diretores e alunos. Segundo Kayho, “é como se fosse um espetáculo de memórias, contados por meio de toda uma narrativa que acreditamos que irá agradar a todos”, ressalta.

Conforme Vanessa, não foi um processo fácil. “Resumir 25 anos de história é muito difícil, porque são muitas peças ao longo dessa caminhada e todas muito boas. Queríamos que todos tivessem presentes, mas não dá para colocar todo mundo no palco. Estamos trabalhando atualmente com três turmas e colocamos todos os alunos para fazer parte e não deixamos ninguém de fora”, conta. Embora fosse o desejo, desta vez ex-alunos não devem participar da peça em si, mas foram convidados para prestigiar o evento. Os diretores fazem mistério em relação ao conteúdo que deve integrar essa narrativa, mas adiantam que ao todo serão 10 peças trabalhadas no espetáculo, que deve durar 1h10.

Para Kayho, o desafio maior está no desempenhar um papel que já foi desempenhado por outros atores nas peças originais. “Foram apresentações muito boas, então como superar isso? Nossos alunos se dedicaram muito para conhecer essas peças e como foram trabalhadas. Estou achando muito gratificante o resultado”, diz.

Conforme Vanessa, o Teatro lida com emoção e deve acontecer uma mistura de sentimento nos dias de apresentação. “Quem está fazendo a peça agora, para eles é tudo novo, mas quem já fez poderá ter outra visão de quando a peça ficou em cartaz pela primeira vez. O objetivo do teatro é incomodar e todo mundo que for sairá incomodado de alguma forma, ou porque gostou ou porque achou que poderia ser melhor, ou porque relembrou os tempos de Oficina”, destaca.

INGRESSOS
Os ingressos poderão ser adquiridos com os alunos da Oficina antecipadamente por R$ 7 ou R$ 15 na portaria. “Está muito acessível. Temos divulgado mais esta arte de uns anos para cá e tentando difundir mais o Teatro. De todas as artes, é a que a população tem menos costume de ir ou por não ter conhecimento ou por não ter o hábito. Temos trabalhado muito nesta questão. O custo da peça é baixo para democratizar esse acesso a toda população ao teatro. Hoje, qualquer coisa que você compra é mais caro que isso”, destaca Vanessa.

A professora destaca ainda que muito mais do que a atração em si, o evento também gerará renda, já que é preciso contratar fotógrafo, técnicos de iluminação, de som, cenografia, entre outras questões para que possa ser realizada sem nenhum problema a apresentação. Por fim, o professor Kayho Rodrigues diz que a expectativa são as melhores possíveis. “As apresentações acontecem sexta e sábado e como é período de férias, todos pode ir para nos prestigiar”, completa.

SEBASTIÃO FURLAN

Sebastião Furlan, mais conhecido como “Tião Furlan”, foi membro da Academia Paraisense de Cultura e responsável pela criação da Cia. Libertas de Teatro, um dos primeiros grupos de teatro de São Sebastião do Paraíso. Furlan foi professor de Língua Portuguesa, dramaturgo, encenador, jornalista e diretor da Escola Estadual Paraisense entre 1985 e 1990.

Furlan faleceu em 1993. Um ano depois, a Oficina de Artes Cênicas Sebastião Furlan foi criada para homenageá-lo e o espetáculo “Chão e Chuva”, de sua autoria, foi o primeiro a ser encenado. No ano de 1999, em uma nova homenagem, o Teatro Municipal de São Sebastião do Paraíso recebeu o seu nome.

A Oficina de Artes Cênicas Sebastião Furlan foi fundada em 16 de maio de 1994 sob a orientação das professoras Edyna Maldi Borges e Katia Mumic. Na ocasião, os alunos-fundadores fizeram uma homenagem póstuma a Sebastião Furlan, teatrólogo e educador que realizou diversas atividades culturais no Sul de Minas Gerais.

Um dos objetivos da Oficina é sensibilizar o aluno para a arte e a comunicação, desenvolvendo sua capacidade de expressar-se através de dinâmicas teatrais, improvisos, jogos, interações, leituras e da atuação. Para isso, os alunos são conduzidos no processo de criação, montagem e apresentação de espetáculos.