CONCURSO CAFÉS

Emater abre inscrições para o Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Agricultura | 12-07-2019 09:44 | 1681
Concurso reúne amostras dos melhores cafés  produzidos em Paaíso, na região e em Minas Gerais
Concurso reúne amostras dos melhores cafés produzidos em Paaíso, na região e em Minas Gerais Foto de Divulgação

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/MG) está com as inscrições abertas para mais um edição do Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais de 2019. O certame será realizado nas categorias Café Natural e Café Cereja Descascado, Despolpado ou Desmucilado. Segundo a organização são esperadas as participações de cerca de dois mil produtores do Estado.

Os produtores interessados devem preencher a ficha de inscrição e entregar as amostras concorrentes nos escritórios da Emater-MG até o dia 9/9. A participação é gratuita. Podem participar produtores dos municípios mineiros, com amostras de café arábica, tipo 2 para melhor, colhidas neste ano. A lavoura de origem da amostra deve ser georreferenciada. O regulamento completo do concurso pode ser acessado no site www.emater.mg.gov.br.

Nos últimos anos São Sebastião do Paraíso tem participado com vários representantes. Vários deles inclusive têm chegado a fase final como ocorreu ano passado com a produtora Dag-mar Resende Pimenta e Geraldo Alvarenga Resende Filho que chegaram a disputar a última fase do concurso.

O Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais tem duas categorias. A primeira é a Café Natural. Neste sistema, o café recém-colhido é levado para secar. A outra categoria é a do Café Cereja Descascado, Despolpado ou Desmucilado. Nestes tipos de café, após a lavagem, há uma separação dos frutos verdes e secos dos frutos maduros. Depois, eles passam por um descascador para só depois seguirem para secagem. No caso dos cafés despolpados e desmucilados, há ainda uma fase onde o produto passa por um tanque de fermentação. Cada produtor pode participar com apenas uma amostra em cada categoria.

Os cafés concorrentes irão passar por análises físicas e sensoriais feitas por uma comissão julgadora formada por, no mínimo, dez classificadores e degustadores de café. Na primeira etapa de análise, só serão classificados os produtos que obtiverem o mínimo de 84 pontos, de acordo com as normas da Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA). 

A produção dos cafés participantes também passará por uma avaliação socioambiental. O produto será pontuado em quesitos como a proteção de nascentes da propriedade, preservação de mata ciliar dos cursos d’água, entre outros.

As amostras selecionadas na primeira etapa seguirão para uma nova avaliação. A comissão julgadora fará a classificação das melhores das duas categorias, em cada região cafeeira de Minas Gerais: Cerrado, Sul de Minas, Matas de Minas e Chapada de Minas.

No ano passado, sete produtores premiados no Concurso de Qualidade da Emater-MG negociaram seus cafés pelos agricultores por valores bem acima da média de mercado.

Os premiados foram lançados em junho deste ano para o público consumidor, em uma série especial. As embalagens dos cafés que chegaram às gôndolas têm a foto e história do agricultor, características de sabor e aroma do produto e, ainda, o selo do concurso da Emater-MG. 

Os rótulos diferenciados são uma forma de valorizar o agricultor e aproximar o consumidor de quem está produzindo no campo.  Em 2018, a competição contou com 1.893 inscritos. O vencedor estadual foi o produtor Josias Gomes, do município de Espera Feliz, da região das Matas de Minas.

No final serão anunciados os vencedores estaduais das duas categorias, além dos primeiros colocados em cada região produtora.

Também será destacada a cafeicultura que obtiver a melhor pontuação entre os finalistas. Todos receberão diploma. A solenidade de encerramento do concurso, com anúncio dos vencedores, será em dezembro. A competição é promovida pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Emater-MG e Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), em parceria com a Universidade Federal de Lavras (Ufla), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas e a Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Faepe).