SUSPEITO

Vereador Ademir Ross é detido suspeito por crime de extorsão

Vereador Ademir Ross teria pedido 50 mil Reais para votar a favor de Walker no processo de cassação do prefeito
Por: Roberto Nogueira | Categoria: Política | 22-07-2019 19:22 | 7275
 Vereador Ademir Ross teria pedido 50 mil Reais para votar a favor de Walker no processo de cassação do prefeito
Vereador Ademir Ross teria pedido 50 mil Reais para votar a favor de Walker no processo de cassação do prefeito Foto de Arquivo

por João Oliveira/Roberto Nogueira

O vereador Ademir Alves Ross (PSD) foi detido pela Polícia Civil nesta segunda-feira (22/7), acusado por extorsão. De acordo com informações obtidas pelo Jornal do Sudoeste o vereador estaria envolvido em um caso de extorsão contra o prefeito de São Sebastião do Paraíso, Walker Américo Oliveira, referente a um processo em andamento na Câmara e que tinha marcado para esta noite a votação do pedido de afastamento do prefeito. O vereador é acusado de ter pedido ao prefeito a quantia de R$ 50 mil para votar a favor do chefe do Executivo.

A acusação contra o vereador teria sido levada pelo prefeito ao Ministério Público nesta segunda-feira. A promotora Manuela de Oliveira Nunes Maranhão Ayres Ferreira, acionou a Polícia Civil para acompanhar os desdobramentos da denúncia contra Ademir Ross. A acusação é de um suposto pedido de dinheiro do vereador ao prefeito para que ele (Ademir) votasse na sessão da Câmara contra sua cassação na noite desta segunda (22/7).

O delegado de Polícia Civil, Rodrigo Bittar teria sido acionado pela promotora, e o prefeito confirmou a acusação contra Ademir, com a proposta do pedido de R$ 50 mil para que ele o vereador votasse contra a cassação do prefeito. Segundo consta o vereador continuou fazendo contatos com o prefeito para que a negociata fosse consumada, fato que levou Walker Américo a procurar o Ministério Público.

Orientado pela promotora e pelo delegado foi marcado um encontro entre o vereador e o prefeito em um local não divulgado, para que fosse concretizada a negociação. Walker teria levado um envelope com certa quantia em dinheiro. Assim que a negociação foi concretizada equipes da Polícia Civil que estavam posicionadas abordaram o vereador e localizaram sob o banco do motorista no veículo  em que estava, um envelope contendo certa quantia em dinheiro, cujas as cédulas foram previamente fotografadas pelo prefeito.

Indagado sobre a origem e procedência do dinheiro o vereador alegou que seria para pagamento de seus funcionários, mas não soube explicar a quantia existente.

Walker teria apresentado ao MP conversas gravadas e degravadas sobre o início da corrupção por parte do vereador.

Ademir Alves Ross, foi detido e autuado em flagrante, sendo inicialmente conduzido para a sede do Ministério Público que fica ao lado do prédio da Câmara, no Jardim Mediterranèe.

O Jornal do Sudoeste segue acompanhando o desdobramento dos fatos e terá novas informações conforme o desenrolar dos fatos.

O presidente da Câmara, Lisandro Monteiro, confirmou à reportagem que a sessão extraordinária desta noite está suspensa. Nela seria votado o pedido de afastamento do prefeito Walker Américo.

Uma Comissão Parlamentar Processante (CPP) investiga suposta prática de infração político-administrativa do prefeito no pagamento de honorários sucumbenciais ao advogado do Inpar, sem intermediação da justiça.

O relatório foi aprovado por dois votos favoráveis, do relator, Vinício Scarano, e do presidente da Comissão, Luiz Benedito de Paula, e um voto contrário pelo vereador e membro Jerônimo Aparecido da Silva. Para haver a cassação é preciso sete votos favoráveis. Três dos 10 vereadores já manifestaram favoráveis ao prefeito.