ADEMIR ROSS

Acusado por crime de extorsão, vereador Ademir Ross alega inocência

Por: João Oliveira | Categoria: Política | 25-07-2019 16:26 | 858
Foto de Reprodução

Preso na tarde de segunda-feira (22/7) acusado de tentar extorquir o prefeito Walker Américo Oliveira, o vereador Ademir Ross, o Tomateiro, ao Jornal do Sudoeste alegou inocência e disse que jamais pediu dinheiro para votar em favor do prefeito em CPP aberta pela Câmara Municipal.

A CPP investiga o prefeito por suposto pagamento de honorários sucumbenciais ao advogado do Inpar, mas foi suspensa por determinação da Justiça, momentos antes do horário marcado para a sessão extraordinária.

De acordo com o advogado Sérgio Aparecido Gomes, que assumiu a defesa de Ademir Ross, durante a manhã desta terça (23/7) ele esteve com o vereador que, segundo conta, está muito abatido com toda a situação e que Ademir nega ter cometido qualquer ato ilícito. O vereador está recolhido na Unidade Prisional de São Sebastião do Paraíso, onde está à disposição da justiça.

"Ele alega que não praticou nenhum ato criminoso e entregou o aparelho celular para possível perícia. Diz que não fez nenhuma ligação ao prefeito pedindo dinheiro, e que inclusive havia ligações dele para algumas pessoas onde falava que não votaria pela cassação do prefeito, e que a intenção era ajudar a Guardinha", afirma o advogado.

Ainda, segundo Sérgio, Ademir Ross alegou que não tinha conhecimento do pacote de dinheiro e que, inclusive, preocupou-se em falar que teria sido o prefeito que o entregou, acreditando que poderia prejudicar Walkinho. Segundo a versão do vereador, Walkinho teria ligado para ele e combinado o encontro.

"Esta foi a versão que ouvimos dele. Agora, nós defendemos direito, não mérito ou razão. Temos que aguardar tudo ser apurado. Se ficar constatado que ele não pediu dinheiro e é inocente, melhor. Do contrário, teremos que defender o direito dele", acrescenta.

Conforme Sérgio, caso Ademir Ross seja condenado, a pena para o crime é de dois a oito anos de prisão, mas há algumas atenuantes. "Ele é réu primário, tem bons antecedentes, residência fixa, é pai de família, uma pessoa que gera emprego e renda. Temos que lutar agora para que ele não fique preso e que ele tenha o direito à liberdade provisória, é o que iremos tentar neste momento, para ele possa responder o processo em liberdade", completou.

PREFEITO
Em nota, o prefeito Walker Américo divulgou que "torna público o seu repúdio a qualquer ato de corrupção cometida. Em face dos últimos acontecimentos, informa que aguarda a manifestação da justiça para qualquer tipo de pronunciamento. Walker ainda reforça que confia plenamente na justiça dos homens e sobretudo na justiça de Deus e sabe que a verdade sempre prevalecerá. Por enquanto segue na sua tarefa, conferida pelo povo através do voto, para fazer uma Paraíso cada vez melhor para se viver", finalizou.