PERDIDA

Ação Social procura familiares de idosa ‘perdida’ no Terminal do Tietê

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Cidades | 17-08-2019 09:57 | 1032
Maria Aparecida está a procura de familiares  paraisenses, foi vista em São Paulo, na rodoviária do Tietê
Maria Aparecida está a procura de familiares paraisenses, foi vista em São Paulo, na rodoviária do Tietê Foto de Reprodução

O destino de Maria Aparecida dos Santos, de 84 anos, que na noite gelada de quarta-feira,14, foi encontrada perdida no Terminal Rodoviário do Tietê, em São Paulo, continua incerto. Ela foi apresentada nas redes sociais, pelo internauta Diego Paiva, como sendo natural de São Sebastião do Paraíso, mas que estava sem contato com familiares. O rapaz se comoveu ao ver a idosa perdida e fez um apelo no sentido de tentar ajudar a encontrar os parentes da idosa. O secretário municipal de Desenvolvimento Social, Marcelo São Julião, confirmou ao Jornal do Sudoeste que está acompanhando o caso e que já houve duas procuras diferentes de pessoas que se dizem familiares da mulher que foi vista na rodoviária de São Paulo.

Conforme a postagem de Diego Paiva a presença de Maria Aparecida caminhando sem destino pela rodoviária de São Paulo lhe chamou a atenção. “Eram 23h15 quando cheguei ao Terminal Rodoviário Tietê e me deparei com essa senhora, andando com muita dificuldade com apoio de uma bengala numa mão e com a outra arrastando uma sacola plástica grande e preta”, narra. O rapaz se sentiu sensibilizado e em um gesto humanitário tentou ajudá-la. De acordo com a narrativa ela parecia não ser notada pela multidão que corria na rodoviária. “E eu também tinha só mais 20 minutos para sacar uma grana, correr e comprar a passagem para o último horário que sai para Caçapava”, contou.

Ainda assim ele parou para conversar e oferecer ajuda. “Perguntei se ela queria ajuda para carregar a sacola até o metrô, pois, não sabia que sua situação era de rua”. Foi então que Diego recebeu um pedido de ajuda. “E ela me pediu quase chorando que só queria que alguém ligasse no 156 para que a levassem para um albergue para fugir do frio”, descreve. O rapaz acionou o Portal de Serviços e Atendimento ao Cidadão da Prefeitura de São Paulo e relatou a situação obtendo como resposta que assistentes sociais iriam buscá-la.

Na noite fria paulistana outro pedido da idosa paraisense atendido por Diego Paiva foi por um pouco de café. Devido ao adiantado da hora e por ter de embarcar para seu destino, o rapaz comovido teve de partir, mas ficou incomodado com a situação. “Tive que voltar. Me senti um lixo por não conseguir ajudar mais. Ela não tem nenhum documento, por isso não pôde nem ficar hospedada em nenhum hotelzinho da redondeza”, lamentou.

Depois de vivenciar toda a situação Diego resolveu, então, fazer um apelo em redes sociais no sentido de localizar algum parente de Maria Aparecida. “Você meu amigo de Minas, ou amigos que conhecem alguém dessa cidade (São Sebastião do Paraíso), por favor, compartilhem essa foto para talvez algum familiar (que também possa estar à procura dessa senhora) possa encontrá-la”, declarou na postagem que fez em um grupo do Facebook de Paraíso. Ele chegou a pedir que se alguém da Prefeitura de São Paulo pudesse interceder por aquela causa. “Eu sei que a demanda deve ser gigantesca, mas poderiam priorizar idosos, gestantes e crianças nesses albergues e realmente mandar auxílio em tempo hábil”, disse.

Ao encerrar Diego manifestou seu desejo e esperança de que a idosa possa ter tido algum tipo de atendimento. “Torço muito para que o 156 tenha atendido minha ligação”, e se mostrou temeroso quanto a uma situação pior e desagradável. “Se amanhã tivermos a notícia ‘Senhora de 84 anos morre de hipotermia’ esse sangue não estará em minhas mãos”, e finalizou apresentando o status de que estava sentindo-se muito triste em Terminal Rodoviário Tietê.

Providências
A publicação de Diego Paiva chamou a atenção dos internautas de Paraíso e o assunto chegou até a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social. O secretário Marcelo São Julião disse que assistentes sociais foram mobilizados e que o mesmo setor em São Paulo foi acionado para um trabalho conjunto. “Fomos alertados para este caso e tomando providências no sentido de termos a localização desta senhora e de tentarmos encontrar aqui a família dela”, disse.

Marcelo anunciou que duas pessoas de diferentes famílias já procuraram a secretaria dizendo-se serem parentes de Maria Aparecida e interessadas pelo caso. “Vamos trabalhar com todas as cautelas devidas, fazer os encaminhamentos que forem necessários para que quem sabe tenhamos um final feliz desta história”, comenta. Ele ressalta que não é a primeira vez que atua em situação semelhante. “Já tivemos outros casos assim que nos comove principalmente quando conseguimos localizar quem estava perdido e reunir aqueles que estão distantes”, finaliza.