ENTRETANTO

Entretanto

Por: Renato Zupo | Categoria: Do leitor | 14-08-2019 10:53 | 60
Foto de Reprodução

O cabelo de Bolsonaro
Deve ser muito difícil ser Presidente da República. O que se fala, se publica. O sujeito vai cortar cabelo ao invés de ir conversar com o chanceler francês em visita ao Brasil, e tome comentário e ironia! Bolsonaro fala das reservas indígenas, e tome agressividade na internet! Comenta sobre desaparecidos políticos e a OAB e o STF se insurgem. Toca no assunto Dilma Roussef e é interpelado criminalmente. Já imaginaram se ele revidasse? Se ficasse pendurado em redes sociais retrucando ou se gastasse dinheiro público representando criminalmente contra seus detratores? E ponha-se na cabeça uma coisa: todo agente político (todo) pode manifestar sua opinião, isso enquanto ainda estivermos em um país livre.  Parece que Bolsonaro não gostou da gafe política do Premiê francês que primeiro foi se encontrar com líderes de ONGS para somente depois visitar nosso chefe de estado, e por isso cancelou a agenda com o ministro. Curioso é que fizeram o mesmo com ele em New York: o prefeito daquela magnífica cidade se recusou a recebê-lo e condecora-lo. Um absurdo diplomático, uma ofensa a todos os brasileiros, não importa o credo político.

Reservas indígenas
Sou obrigado a admitir, e o fato é cruel de ser digerido, mas reservas indígenas são tratados constitucionalmente como zoológicos humanos, inexpugnáveis florestas entregues a nativos desprovidos de meios para defender as enormes riquezas naturais sobre as quais se assentam. É território demais, responsabilidade de menos. Enquanto permanecermos acreditando que protegemos os índios quando os colocamos entrincheirados entre madeireiros e garimpeiros, sem recursos médicos e científicos para sobreviver e sem o Estado para protegê-los, estaremos na verdade entregando os indígenas à própria sorte e mantendo territórios que poderiam ser fartamente explorados com imenso lucro para a nação e sem prejudicar nosso ecossistema sustentável e nossa biodiversidade. As reservas indígenas são territórios que tendem a ser desmembrados da nação em um futuro próximo, entregues à ONGS, emancipadas,  ou transformadas em domínio público multinacional. Para deixar o índio livre em terra de ninguém, perderemos a soberania.

Interpelação Criminal
Primeiro o presidente da OAB, Felipe Santana, e agora Dilma Rousseff e seu partido, se valem do STF e do remédio jurídico conhecido como “interpelação criminal”, para amolar o Presidente e fazer política da pior forma possível. A interpelação criminal nada mais é que um pedido de explicações subjacente a um fato que possa ser de algum interesse criminal. Geralmente se dá em crimes contra a honra, mas nada impede que através destas explicações se procure fazer prova de delitos outros, sempre contando com a hipótese remota do interpelado prestar as explicações solicitadas. Ah! Importante: o interpelado, a pessoa que sofre a interpelação, seja ela o presidente da República ou o Zé das Couves, não está obrigado a responder o pedido. Ou seja, pizza. Armadilha retórica voltada à destruição da imagem do adversário político. É para não dar paz e permanecer infernizando. Ninguém mais aguenta o mimimi.

O dito pelo não dito.
A Liberdade é, quase sempre e exclusivamente, a liberdade de quem pensa diferente de nós.”
(Rosa Luxemburgo, filósofa polonesa).

RENATO ZUPO, Magistrado, Escritor