CÂMARA CULTURAL

Cidinha Cerize propõe projeto Câmara Cultural em Paraíso

Por: João Oliveira | Categoria: Cultura | 28-08-2019 10:05 | 1158
Proposta pretende dedicar espaço na Câmara para exposições artísticas
Proposta pretende dedicar espaço na Câmara para exposições artísticas Foto de ASSCAM

Projeto de autoria da vereadora Cidinha Cerize, em nome da Mesa Diretora, prondo a criação do “Projeto Câmara Cultural” na Câmara Municipal de São Sebastião do Paraíso deu entrada na sessão de segunda-feira (26/8),. O projeto preve destinação de um espaço interno da Casa Legislativa para exposição de trabalhos de cunho artístico que sejam confeccionados por artistas, e por munícipes em geral, mediante convocação pública, assegurada a igualdade de participação.

De acordo com a justificativa do projeto, a cultura do Brasil é uma síntese da influência dos vários povos e etnias que formaram o povo brasileiro e não existe uma cultura brasileira homogênea, mas sim um mosaico de diferentes vertentes culturais que formam, juntas, a cultura. 

Segundo dados apresentados pela autora do projeto, quase um terço da população (32%) depende de acesso gratuito para ir a eventos culturais. Esse é um indicador levantado pela consultoria JLeiva Cultura e Esporte. Além disso, de acordo com o Ministério da Cultura, em uma pesquisa realizada em 2013, 75% das pessoas declararam nunca ter frequentado ou ter ido a um museu.

“Partindo da perspectiva de que a Câmara de São Sebastião do Paraíso não somente tem o dever, mas também o interesse em promover a cultura regional, foi elaborado esse projeto de resolução para que todos os cidadãos, e também para aqueles que visitam nossa cidade, tenham a oportunidade de conhecer mais de perto a riqueza cultural das pessoas e de toda história da nossa região”, justifica.

A intenção, segundo a vereadora, é que a Casa Legislativa se torne um espaço aberto para a exposições de ideias, liberdade de opiniões, incentivando artistas de diversas áreas a saírem do anonimato e apresentarem seus trabalhos artísticos.

“Tudo isso aliado também à formação, à cultura e à comunicação. Histórias de vida são contadas, recontadas e ressignificadas através da arte e da cultura. Fotografia, livro, poesia, artesanato e diversas outras formas de expressão são utilizadas nas vivências propostas pelo projeto”, acrescenta.

De acordo com o projeto, considera-se trabalho artístico toda obra que consista num objeto, uma composição musical, arquitetura, pintura, um texto, uma poesia, dentre outros e não serão aceitos os trabalhos que forem considerados como atentados à reputação do município ou de seus muníci-pes.

O projeto foi aprovado por unanimidade e encaminhado para Comissão de Finanças, Justiça e Legislação.