AGRICULTURA

Secretaria de Educação afirma que mantém compras de mercadorias da agricultura familiar

Por: João Oliveira | Categoria: Agricultura | 11-09-2019 13:15 | 1092
Foto de Reprodução

Em resposta a um oficio da Câmara Municipal, onde foram questionadas as razões do município não está adquirindo mercadorias da agricultura familiar, a Prefeitura de São Sebastião do Paraíso afirma que, ao contrário do que foi questionado por vereadores, a Prefeitura estava mantendo, sim, essas compras.

Informou que realizou em novembro de 2018, atendendo aos preceitos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Escola Pública, com o objetivo de contratar agricultores familiares bem como associações para fornecer gêneros alimentícios para a merenda escolar do município, chamada pública.

"Foram contratadas associações de famílias rurais da Queimada Velha e também Associação Agropecuária de São José do Rio Pardo, que tiveram seus contratos vigentes de novembro de 2018 a maio de 2019", informou.

De acordo com a Prefeitura, dentro deste período foram realizadas pela Secretaria de Educação, diversas compras de hortifrutigranjeiro para suprir a necessidade da merenda escolar, comprado diretamente desses produtores. Foi enviado ainda à Câmara cópias de recibos fiscais das compras.

"A Prefeitura só não adquiriu mais produtos de associações de famílias rurais da Queimada Velha, pois, conforme documento anexo, a mesma não teve condições de fornecer devido mudanças climáticas em nosso município, que comprometeram a produção de diversos produtos", destacou.

A prefeitura informou ainda que já foi realizada nova chamada pública para aquisição de produtos hortifrutigranjeiros e que "já foram contratadas novamente a associação de famílias produtoras da Queimada Velha e cooperativa agropecuária de São José do Rio Pardo, que já estão realizando fornecimento de produtos a merenda escolar", completou.

MANIFESTAÇÕES
Após a leitura da correspondência, o vereador José Luiz das Graças sugeriu convidar os produtores para que se manifestassem sobre o que foi alegado na correspondência. Disse ainda que vereadores não querem prejudicar ninguém, mas que a Prefeitura atenda a agricultura familiar do município.

"Esperamos que haja diálogo e que, se algumas pessoas não estão conseguindo vender sua mercadoria, que tenham a oportunidade de nos explicar quais são as dificuldades que estão encontrando para fornecer para o município e, até mesmo, saber quantos produtores estão fazendo essa entrega", disse.