CLUBE DE LEITURAS

LEIA MULHERES: A Casa Torta de Agatha Christie será obra debatida em próximo encontro

Por: João Oliveira | Categoria: Cultura | 23-09-2019 16:12 | 488
A escritor inglesa Agatha Christie escreveu obras como
A escritor inglesa Agatha Christie escreveu obras como "O assassinato no Expresso Oriente", "Morte no Nilo" e "Não Sobrou Nenhum" Foto de Divulgação

Quem nunca leu um romance policial certamente irá se surpreender com a trama da "rainha do crime", Agatha Christie, em A Casa Torta. A obra, escolhida para leitura de setembro, terá seu encontro presencial no próximo dia 5 de outubro. O clube Leia Mulheres tem como proposta a leitura e valorização de literatura produzida por mulheres, muitas vezes esquecidas ou deixadas de lado pelos manuais de literatura.

No último encontro, sábado (14/9), o grupo debateu a obra Kindred, da escritora estadunidense Octavia E. Buttler. Este foi o segundo encontro promovido pelas mediadoras a professora Alline Duarte Rufo e a psicóloga Sarah Lara Naves. O romance, conforme pontua Sarah, é uma ficção cientifica que aborda temas como escravidão, viagem no tempo e preconceitos.

"Foi um encontro bastante proveitoso. Contou com a presença de bom número de pessoas diferentes, de diferentes profissões e idade, que contribuíram muito para a discussão da obra, que traz personagens de diferentes biotipos e que nos traz, também, diversas perspectivas de leitura. A personagem principal, a Dana, é uma mulher negra que viaja no tempo, por volta de 1815, para ajudar uma criança e, a partir daí, vive diversas situações delicadas que vão colocar a prova sua própria existência", conta.

Segundo a psicóloga, a partir dessa história o grupo conseguiu discutir diversos assuntos correlacionado a obra, entre eles escravidão nos EUA, dilemas raciais e sobre ódio e amor. "Conseguimos trazer para 2019 toda aquela realidade discutida na obra, como os resquícios que ainda temos da escravidão, vocabulário e preconceito "maquiado", além de falar sobre a autora e dos dilemas que ela viveu em sua infância e adolescência e como tudo contribui para que ela escrevesse essa obra", destaca.

Sarah ressalta o processo de persistência da autora, que tinha dislexia e sonhava em ajudar jovens negros por meio de suas obras que, segundo Octavia, um dia venderia milhares de exemplares. "A Octavia, apesar de ter sido desacreditada por familiares e todo mundo da sua época, ela insistiu e persistiu em seu sonho de ser escritora e conseguiu, se tornou a Grande Dama da Ficção Científica", ressalta Sarah Lara.

CONVITE
O próximo encontro acontece no dia 5 de outubro às 15h, no Espaço Ser e Tempo à rua Pedro Bueno Jr., 515, sala 9. "Quem quiser participar e quiser tirar dúvidas pode entrar em contato por meio do nosso perfil no Instagram: www.insta gram.com/leiamulheresssp (@leiamulheressp), ou pelo telefone 98713-3115", completa.

A CASA TORTA
O romance narra o misterioso assassinato do patriarca Aristide Leonides, um homem milionário que residia em Swinly Dean, famoso subúrbio distante de Londres, com a esposa, 50 anos mais jovem, filhos, noras, netos, e uma cunhada (irmã de sua primeira esposa). Todos os ingredientes indispensáveis a um bom romance policial estão ali: a morte por envenenamento, uma casa repleta de moradores suspeitos, cada qual com seu motivo particular para querer o milionário morto e, claro, o detetive por acaso que, junto de sua namorada, a neta da vítima, Sophia Leonides, vão até o fundo da história em busca de respostas. Publicado em março de 1949, A Casa Torta se revela uma das obras mais emblemática da autora, ao lado de Assassinato no Expresso Oriente, ambos adaptados para o cinema.

Agatha Christie: a rainha do crime
A autora inglesa Agatha Christie é uma das autoras mais publicadas de todos os tempos. Com mais de cinquenta anos de carreira, Christie escreveu romances de mistério, contos, peças de teatro, uma série de poemas e livros autobiográficos, além de romances sob o pseudônimo de Mary Westmacott.

Dois de seus personagens tornam-se mundialmente famosos: o engenhoso detetive belga Hercule Poirot e a simpática e curiosa Miss Jane Marple. A obra de Agatha Christie foi traduzida para mais de cinquenta línguas e muitos de seus livros foram adaptados para o teatro, o cinema e a televisão.

A autora ganhou diversos prêmios ainda em vida, e sua obra conquistou uma imensa legião de fãs. Ela é a única escritora de mistério a alcançar também fama internacional como dramaturga e foi a primeira pessoa a ser homenageada com o Grandmaster Mystery Writers of America.

Em 1971 a autora recebeu o título de Dama da Ordem do Império Britânico. Agatha Christie nasceu em 15 de setembro de 1890 em Torquay, Inglaterra, e faleceu em 12 de janeiro de 1976, após publicar mais de 60 romances.

No entanto, digna de uma verdadeira "rainha do crime", Christie não morreu antes de também levar para o túmulo um de seus personagens mais emblemático e que lhe renderam dezenas de obras: Hercule Poirot, que dá adeus em "Cai o Pano", obra publicada após o falecimento da autora.