APC

José de Paula Duarte

Por: Redação | Categoria: Cultura | 28-09-2019 09:42 | 1363
Foto de Reprodução

José da Lódia, não é apelido e sim carinhosa referência, por ser filho de Dona Laudelina, conhecida como Lódia.

Seu nome não é uma lenda, muito menos um conto de fadas, é real. Um ser humano diferenciado, Íntegro, gentil e prestativo, um fenômeno de bondade, rara exceção.

Havia uma graça natural nele, do tipo que se consegue com humildade. A simplicidade acompanhou em todo seu esforço. Seu jeito de ser e de viver transmitiam paz e esperança para verdadeiras realizações.

Praticou a Lei do Amor, o amor fraterno, doou de si o melhor que pôde, servindo sempre sem esperar recompensa terrena.  Um ser humano diferente, especial, em sua forma de pensar, agir e existir.

Alcançou vitórias surpreendentes, deixou caracterizada transparência, credibilidade e ação social junto á  comunidade, principalmente aquela mais carente. Lutou a favor da igualdade social, o progresso e o melhoramento da sociedade como um todo.

Sensibilizou, orientando-os e fazendo com que eles nunca percam suas identidades, preparando-os para os caminhos da vida. Orientou os que buscam o esclarecimento, conscientizou você é capaz!

Motivou a autoestima, despertou o gigante adormecido no coração, fez surgir o amor, a harmonia, resgatou a felicidade no coração dos fracos e oprimidos. Encantou a todos com ações realizadas em favor do próximo.

Um ser humano mais capaz do que imaginamos: Simpatia e carisma existente em seu coração, gratidão, equilíbrio, serenidade, paz, amor, compaixão, lucidez, razão e ação, suas atitudes preenchem o imaginário, estendeu a mão, criou expectativas, cultivou a esperança, transformou sonhos em realidade.

Mostrou o caminho a seguir, reacendeu a luz da caridade em nossos corações. Mensageiro da paz, alma iluminada, luz que ilumina e aquece mesmo nos momentos mais difíceis. Exemplo de cidadania, comprometimento e dedicação no trabalho social eficaz.

Na longa estrada de espinhos, caminhou alegre e destemido, acalentou sonhos, ensinou o sentido da vida, o verdadeiro sentido da vida consiste em dar um sentido a ela. Deixou marcas Inesquecíveis,  inestimável legado espiritual humanitário, amou a todos sem distinção, fez da vida sua melhor obra. 

Superou desafios, plantou suas raízes, sentiu florescer a esperança, a união, a harmonia. Venceu a difícil missão de vida, inesquecível em sua gloriosa passagem, as realizações e exemplos perpetuaram seu nome...

No dia 18 de outubro de dois mil e dezenove completam-se dois anos de seu falecimento.

Hoje resta saudade e um imenso vazio, vai-se a vida, as recordações permanecem para sempre.

É uma honra escrever a mensagem, reavivar a memória da pessoa que admiro, um ser humano iluminado.

Sem a homenagem não existiria a saudade...
Laércio Felício da Silva membro da Academia

Paraisense de Cultura.