FEMINICÍDIO

Preso em Monte Santo de Minas homem acusado de “feminicídio”

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Polícia | 15-10-2019 18:30 | 1085
Adriana Marangoni de 46 anos foi mais uma vítima de feminicídio registrado este ano na região
Adriana Marangoni de 46 anos foi mais uma vítima de feminicídio registrado este ano na região Foto de Reprodução

A Polícia Civil em Monte Santo de Minas instaurou inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Adriana Marangoni. O crime tipificado como feminicídio foi registrado no domingo (13/10), quando a vítima foi encontrada no local onde morava na zona rural com sinais de violência. O companheiro dela José Carlos Moreira da Silva, de 50 anos, que estava foragido foi preso pela Polícia Militar no início da semana apontado como sendo suspeito de ser o autor do crime.

O crime foi registrado no domingo,13, quando a Polícia Militar recebeu uma denúncia da existência de um corpo encontrado na zona rural. No local os policiais depararam com o corpo de Adriana que estava fora da residência e apresentava ferimentos na cabeça com intenso sangramento. Ainda com sinais vitais ela foi socorrida e levada para atendimento em Monte Santo de Minas e depois transferia para a Santa Casa de Misericórdia de São Sebastião do Paraíso, onde não resistiu e veio a óbito.

No final da tarde de segunda-feira,14, pouco depois do sepultamento de Adriana, uma denúncia anônima levou a Polícia Militar até um bar em Monte Santo de Minas apontado onde José Carlos estava. No local os policiais depararam com o suspeito fazendo uso de bebida alcoólica. Contra ele já havia sido expedido um mandado de prisão, que após ser reconhecido, acabou detido. O acusado não apresentou resistência e foi encaminhado para a Delegacia de Polícia da cidade.

Ao Jornal do Sudoeste o delegado Rodrigo Simão, titular da Delegacia de Polícia Civil de Itamogi, e que atua por competência estendida em Monte Santo de Minas, confirmou que já iniciou as investigações do caso. “Foi instaurado o inquérito que pretendemos elucidar esta situação e esclarecer o caso dentro de 30 dias”, comentou. Ele confirmou que o principal suspeito foi preso e encontra-se  recolhido. Nos próximos dias serão ouvidas pessoas ligadas à família da vítima e testemunhas que poderão ajudar a elucidar a ocorrência.

Entenda o caso
A mulher teria sofrido traumatismo craniano com cortes na cabeça e afundamento do crânio. No sítio onde ela morava e local onde foi encontrada ferida a polícia apreendeu um pedaço de madeira, semelhante a um cabo de machado, e também uma garrafa térmica com os fundos quebrados, que podem ter sido utilizados para a prática do crime. O corpo de Adriana foi velado na manhã de segunda-feira,14, e o sepultamento ocorreu no mesmo dia no Cemitério Municipal de Monte Santo de Minas.

Ainda no domingo a polícia havia constatado o desaparecimento de José Carlos Moreira da Silva, com quem Adriana Morangoni morava há cerca de sete anos. Contra ele há o registro de prática de violência contra a vítima, sendo que o acusado já esteve preso por este mesmo motivo. Numa ocasião a mulher que teria sido agredida por ele e até quebrado o braço disse à polícia que caiu, quando todas as evidências eram de que o homem a havia atacado. A família não aprovava o relacionamento do casal justamente pelo histórico de agressor que ele possui.