CONCURSO CAFÉ

Seis produtores da região de Paraíso estão na 2ª fase do Concurso Café de Qualidade

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Agricultura | 19-10-2019 10:45 | 935
Ganhadores dos melhores cafés produzidos em Minas, nas duas categorias serão conhecidos até o final do ano
Ganhadores dos melhores cafés produzidos em Minas, nas duas categorias serão conhecidos até o final do ano Foto de Arquivo

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater /MG) divulgou na quinta-feira,17, a relação com dos produtores classificados para a segunda etapa do 16º Concurso Estadual de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais. Na lista dividida em duas categorias está o nome de Antônio Adolfo de Souza, que é de São Sebastião do Paraíso, além de outros cinco produtores da região, de um total de 151. Os vencedores das duas categorias em disputa serão conhecidos em dezembro.

De acordo com a organização do concurso foram selecionados 52 produtores na categoria Cereja Descascado, Despolpado ou Desmucilado e 99 na categoria Natural. Os cafés concorrentes passaram por análises físicas e sensoriais feitas por uma comissão julgadora formada por dez classificadores e degustadores de café. As amostras classificadas obtiveram o mínimo de 84 pontos, de acordo com as normas da Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA). Na 2ª etapa do concurso, os cafés passarão por uma nova análise sensorial.

Durante o processo de escolha dos melhores produtos são provadas aproximadamente 15 mil xícaras de café. As melhores amostras da segunda etapa estarão classificadas para a final no concurso, em dezembro. Participam do concurso amostras de café arábica, tipo 2 para melhor, colhidas neste ano. A lavoura de origem deve ser georreferenciada. A participação é gratuita.

Entre os mais de 150 produtores classificados está Antônio Adolfo de Souza, que possui lavoura em São Sebastião do Paraíso. Além dele tiveram amostras selecionadas outros cinco cafeicultores dos municípios de Cássia, Ibiraci e São Tomás de Aquino. Todos eles foram inscritos na categoria Café Natural. Confira a relação no quadro em anexo.

A disputa tem duas categorias. A primeira é a Café Natural. Neste sistema, o café recém-colhido é levado para secar. A outra categoria é a do Café Cereja Descascado, Despolpado ou Desmucilado. Nestes tipos de café, após a lavagem, há uma separação dos frutos verdes e secos dos frutos maduros. Depois, eles passam por um descascador para só então seguirem para secagem. No caso dos cafés despolpados e desmucilados, há ainda uma fase onde o produto passa por um tanque de fermentação. Cada produtor pode participar com apenas uma amostra em cada categoria.

Para participar da próxima fase, os produtores devem procurar os escritórios da Emater-MG, onde serão orientados pelos extensionistas da empresa sobre a entrega de novas amostras dos produtos concorrentes até 1º de novembro. A comissão julgadora fará a classificação das melhores das duas categorias, em cada região cafeeira de Minas Gerais que estão classificados como Cerrado, Sul de Minas, Matas de Minas e Chapada de Minas. Nesta etapa serão analisados quesitos como fragrância, aroma, doçura, sabor e acidez.

No encerramento, previsto para dezembro, serão anunciados os vencedores estaduais das duas categorias, além dos primeiros colocados em cada região produtora. Também será destacada a cafeicultora que obtiver a melhor pontuação entre os finalistas. Todos receberão diploma.

A competição é promovida pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Emater-MG, empresa vinculada à Secretaria de Estado Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), em parceria com a Universidade Federal de Lavras (Ufla), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas e a Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Faepe).