POLE POSITION

Fim de temporada, novos rumos

Por: Sérgio Magalhães | Categoria: Esporte | 01-12-2019 11:32 | 1033
Este colunista ao lado de Reginaldo Leme que deixou a Globo nesta semana depois de 41 anos
Este colunista ao lado de Reginaldo Leme que deixou a Globo nesta semana depois de 41 anos Foto de Arquivo Pole Position

A notícia caiu como uma bomba nesta semana: Reginaldo Leme deixou a Globo e não estará amanhã na transmissão do GP de Abu Dhabi, que encerra a temporada 2019 da Fórmula 1.

Para mim que sou adepto de longa data das transmissões de Fórmula 1 pelo rádio (Band News FM), não muda muita coisa, mas imagino o quão será sentido pelos fãs a falta dos comentários de quem sempre foi uma referência nas corridas de Fórmula 1 no país. Não me cabe aqui comentar os motivos, a informação que tenho é de que partiu do próprio Reginaldo o desejo de sair do Grupo Globo, o que não deixa de ser um grande desfalque para as futuras transmissões da emissora que, diga-se, tem deixado muito a desejar nas coberturas da Fórmula 1, mesmo com os relevantes índices de audiências que tem alcançado. No GP do Brasil foram 13 pontos de ibope na grande São Paulo.

Reginaldo Leme foi um dos pioneiros da imprensa especializada e que ajudou formar uma legião de fãs do automobilismo no Brasil. Não tenho a conta exata, mas certamente foram mais de 800, os GPs que ele cobriu desde a primeira vez, em 1972, na Itália, quando era repórter do jornal o “Estado de São Paulo”. Para se ter ideia do que isso representa, a corrida de amanhã será a de número 1.018 da história da Fórmula 1 desde 1950. E tudo isso sem contar as coberturas da Stock Car e de tantas outras categorias. Deixo aqui minha homenagem, votos de felicidade, e que venham novos rumos e novos desafios para o grande Regí !

Dito isto, a Fórmula 1 encerra a temporada mais longa de sua história até aqui, com 21 corridas. Digo até aqui porque em 2020 serão 22 GPs, com a promessa de chegar a 25 corridas nos próximos anos.

Há poucas disputas em jogo em Abu Dhabi, é verdade, o que não tira o interesse pela  corrida. O fato de as disputas estarem liquidadas em favor de Lewis Hamilton, e da Mercedes, nos Mundiais de Pilotos e de Construtores, respectivamente, torna o evento menos carregado das pressões que envolvem uma disputa de títulos, e aumenta as chances de termos outra corrida interessante.

Apesar de o Circuito de Yas Marina não ter as características de pistas que proporcionam boas corridas, a prova do ano passado foi bastante movimentada e a imagem que ficou foi a de três campeões mundiais dando zerinhos com seus carros após a bandeirada: Lewis Hamilton, Sebastian Vettel e Fernando Alonso, este último em sua despedida da Fórmula 1.

Mas se as principais posições da tabela de classificação estão praticamente definidas - o 3º lugar ainda está em jogo, mas a vantagem de Max Verstappen sobre Charles Leclerc é de 11 pontos - a dupla da Ferrari vai ser o centro das atenções depois do que aconteceu em Interlagos em que Sebastian Vettel e Charles Leclerc se enroscaram e acabaram batendo. Certamente eles não vão cometer o mesmo erro, mas vai ser interessante observar o comportamento dos dois pilotos se em algum momento da corrida eles se encontrarem pelo caminho.

Este será o 11º GP de Abu Dhabi, prova que entrou para o calendário da Fórmula 1 em 2009 e já teve quatro vitórias de Lewis Hamilton, três de Sebastian Vettel, e uma de Kimi Raikkonen, Valtteri Bottas e Nico Rosberg. Mas é entre as equipes que chama mais atenção: São 5 vitórias da Mercedes, 3 da Red Bull, uma da McLaren, uma da Lotus, e nenhuma da Ferrari. A largada acontece amanhã às 10h10, ao vivo na TV Globo e rádio Band News FM.