LGBTQI+

Coletivo LGBTQI+ promove II Parada do Orgulho em Paraíso

Por: João Oliveira | Categoria: Entretenimento | 01-12-2019 11:39 | 1094
Foto de Reprodução

O Coletivo LGBTQI+ irá promover nos próximos dias 7 e 8 dezembro a II Parada do Orgulho. O evento irá começar com uma noite de "palestras pela diversidade" que acontecerá no anfiteatro da Libertas Faculdades Integradas e, no segundo dia, uma caminhada do orgulho com concentração na Praça Comendador João Alves (Fonte) com festividades até o Estádio Municipal Irmãos Capatti (o campão).

No dia 7, às 19h, quem inicia a noite de palestras é o professor de História João Pedro Menezes Jacinto, com o tema "as telenovelas e as personagens LGBTQI+ nos anos 70 e 90 no Brasil". Em seguida Luana Voguell irá realizar um momento de bate-papo. Na sequência, a psicóloga Eliana Matheus Bonfante falará de saúde mental e os médicos Augusto Crespo e Caroline Costa Oliveira sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST).

Conforme conta o produtor cultural, Gabriel Félix, a II Parada do Orgulho foi idealizada por ele e por Marlon Amorim e Maycon Douglas de Paula, que reativaram o Coletivo LGBTQ+ de São Sebastião do Paraíso após suas atividades passarem por um longo hiato.

"O Coletivo nasceu em 2017, quando houve a construção popular e formação orgânica para a realização da I Parada Orgulho LGBTQI+ de São Sebastião do Paraíso. Entre os envolvidos estavam Jessika Morais, Lara Tonin, Lorena Tonin, Marlon Amo-rim, Ramon OBiasoli e Thales Fernando, auxiliados por um coletivo de voluntários, culminando na realização da I Parada do Orgulho LGBTQI+", recorda.

Conforme destaca o produtor, o movimento LGBTQI+ e a II Parada do Orgulho LGBTQI+ são essenciais para dar representatividade a comunidade de Paraíso e conscientizar a população sobre a importância de se respeitar as diferenças. "Existe o preconceito e falta de aceitação formado por ultrapassadas moralidades e costumes, das famílias em geral, do comércio e mercado de emprego que é homofóbico tanto no tratamento de clientes como na contratação de funcionários LGBTQI+ e principalmente pessoas trans e travesti", ressalta.

Ele destaca que na política paraisense, por exemplo, não há nenhum membro LGBTQ+ na Câmara de Vereadores, nem mesmo houve no passado. "O preconceito, machismo, racismo e classi-cismo são males presentes em nosso município que poderão ser curados pela forma didática de informar, amar e protestar de forma artística e pacífica para desconstrução humana geral do município", acrescenta.

DESAFIOS
Entre os maiores obstáculos para a promoção da Parada do Orgulho LGBTQI+, Gabriel comenta que os principais são as ideologias e ataques que todo movimento sempre sofre ao questionar padrões e reivindicar mudanças. "São obstáculos que foram vencidos por parcerias inteligentes e necessárias. Mas tivemos um feedback extremamente positivo de forma geral pois permitiu realização pessoal, moral, informações didáticas necessárias e reais, somente por ser evento que defendeu e mostrou o amor.

O produtor cultural destaca ainda que, embora esta II edição também tenha enfrentado as mesmas problemáticas que os eventos do Movimento LGBQTI+ enfrentam, todos foram superados. "Nossa maior expectativa, e acredito que posso falar como parte dos organizadores quanto pelo público, é que desejamos um futuro mais justo, seguro e informado, onde o amor e aceitação não sejam uma exigência", completa.

OUTRAS ATRAÇÕES
No dia 8, além da caminhada, com concentração na Praça da Fonte às 13h e chegada ao campão às 15h, haverá diversas atividades e atrações. Entre elas arrecadação de alimentos, piquenique, cantinho Arco-Irís de Oficinas Infantis, Plantio de Árvores homenagens da Parada LGBTQI+ entre outros.