CÂMARA

Prefeito denuncia presidente da Câmara por "quebra de decoro parlamentar"

Por: João Oliveira | Categoria: Política | 19-12-2019 09:55 | 1913
Lisandro se defendeu das acusações na Tribuna
Lisandro se defendeu das acusações na Tribuna Foto de ASSCAM

O prefeito Walker Américo Oliveira encaminhou à  da Câmara Municipal pedido para abertura de processo na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar contra o  presidente da Casa, Lisandro José Monteiro. Walkinho alega que o presidente da Câmara cometeu "prática incompatível com o exercício do mandato parlamentar" ao "ofender a sua honra e a de seus familiares como uma espécie de "ameaça"" e também ao chamá-lo de "safado".

De acordo com o pedido, na sessão do dia 2 de dezembro Lisandro Monteiro teria optado por "fazer pronunciamentos estranhos ao exercício do mandato, de cunho particular a pessoa do representante, ofendendo sua honra e fazendo alusão a seus familiares como uma espécie de "ameaça"".

Walkinho diz que o presidente da Câmara  abordou questões "completamente alheias ao interesse público, não tendo razão para serem tratadas na sessão Legislativa, inclusive sendo de cunho ofensivo e totalmente desproporcionais". O prefeito alega ainda que teria sido chamado de "cara de pau" e, segundo ele o mais grave, foi chamado de "safado" pelo presidente da Câmara. "Assim não há de se agasalhar o pronunciamento do representado uma vez que foge de suas prerrogativas funcionais e, também, excede nos seus direitos como parlamentar, agindo com expressa quebra de decoro parlamentar.

LISANDRO OCUPA TRIBUNA
Após leitura do pedido recebido pela Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, composta pelo presidente Vinício Scarano, vice-presidente Cidinha Cerizze e José Luiz das Graças, o presidente da Câmara, Lisandro Monteiro ocupou a tribuna onde criticou o pedido. Lisandro lamentou o uso da tribuna e após um breve história da sua trajetória teceu críticas ao prefeito.

Destacou que a Câmara não tem medido esforços para ajudar a municipalidade e que até o final do mandato terá devolvido cerca de R$ 10 milhões à Prefeitura. Por fim, pediu desculpas ao vereador Valdir do Prado por ter citado seu nome em um áudio criticando a tarifa de esgoto. "Você não fazia parte daquela legislatura, reconheço o meu erro", finalizou.

O vereador Marcelo de Morais fez uso da palavra e leu artigo da Lei Orgânica que diz que os vereadores "gozam de inviolabilidade por suas opiniões, palavras e votos no exercício do mandato e na circunscrição do município". Segundo Morais, ação do prefeito é para "tentar dar desgaste" a Lisandro. "Ele tentou fazer isso comigo durante três anos", disse. Morais criticou o prefeito e relembrou diversos projetos que foram protocolados na Câmara pelo chefe do Executivo  e aprovados pela Casa. Lembrou também de pedidos de cassação contra ele pelo prefeito enquanto presidente da Câmara.

O vereador Luiz Benedito de Paulo também manifestou apoio ao presidente da Casa. "Quem te conhece, sabe que às vezes você é um pouco estourado e diz muita coisa sem maldade. Você está com a consciência tranquila, tenho certeza disso. Você está do lado do povo  e do lado das coisas certas".

Lisandro Monteiro encaminhou o processo para a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar que terá Cidinha Cerizze como relatora. "Os trâmites serão seguidos conforme projeto de resolução", finalizou Scarano.