LEIA MULHERES

LEIA MULHERES: Clarice Lispector será autora lida em encontro de janeiro

Por: João Oliveira | Categoria: Educação | 23-12-2019 10:01 | 1830
Clarice Lispector escreveu  obras emblemáticas, entre  elas A hora da estrela e O lustre
Clarice Lispector escreveu obras emblemáticas, entre elas A hora da estrela e O lustre Foto de Divulgação

O clube Leia Mulheres de São Sebastião do Paraíso irá debater em próximo encontro, no dia 25 de janeiro, a obra “A paixão segundo G.H”, da escritora e jornalista Clarice Lispector. No último encontro do grupo, que ocorreu no dia 14 de dezembro, os participantes debateram a obra “O peso do pássaro morto”, da escritora Aline Bei, que com seu livro de estreia ganhou o prêmio São Paulo de Literatura na categoria melhor livro do ano de 2018 e, deste então, vem sendo  sucesso de público e crítica.

Conforme destaca a mediadora do Clube, a psicóloga Sarah Lara Naves, o livro deste encontro, além de muito premiado, trouxe uma literatura contemporânea e que gerou diversos debates. “O encontro também contou com a visita de uma escritora de São João Del Rei, a Tetê Silva, que contribui muito para as discussões, especialmente no que tange os processos de escrita.

O peso do pássaro morto, apesar de ser uma prosa, é uma prosa desconstruída e nos dá a impressão de ser um poema. A Tetê Silva, que é poetisa, nos ajudou a entender um pouco essa construção, e quais as intenções por trás desta maneira de tratar a narrativa”, destaca.

De acordo com a psicóloga, todos os participantes leram a obra e destacaram que tinham a impressão de que seria uma obra “clichê”. “A obra surpreendeu a todos, porque é um livro que retrata muito bem os sentimentos humanos, as perdas durante as fases da vida, porque o livro narra a história de uma mulher dos 8 aos 52 anos de idade. Como retrata um momento amplo da vida, todos se identificaram com algum trecho da obra. Foram discussões muito ricas e amplas, especialmente sobre o final da obra, que deixa aberta a interpretações”, completa.

A paixão segundo G.H
Publicado em 1964, A paixão segundo G.H de Clarice Lispector narra os pensamentos e sentimos do protagonista e narradora  G.H . Na história, G.H decide despedir a empregada doméstica e limpar o quarto de serviço, que ela acreditava estar imundo. Frustrada por ter encontrado um quarto limpo e arrumado, G.H. depara-se com uma barata na porta do armário.

 Depois do susto, ela esmaga o inseto e decide provar seu interior branco, processando-se, então, uma revelação.

G.H. sai de sua rotina civilizada e lança-se para fora do humano, reconstruindo-se a partir desse episódio. A protagonista vê sua condição de dona de casa e mãe como uma selvagem. Clarice escreve: “Provação significa que a vida está me provando. Mas provação significa também que estou provando. E provar pode se transformar numa sede cada vez mais insaciável”.

Clarice Lispector foi escritora, jornalista e tradutora ucraniana, naturaliza brasileira. Veio para o Brasil com a família ainda na infância, quando tinha dois meses, fugindo dos horrores provocados pelo antissemitismo disseminado na Rússia durante a Guerra Civil Russa. Uma das maiores representantes da terceira fase do Modernismo Brasileiro, Clarice escreveu obras até hoje estudas nas escolas, entre elas “A hora da estrela”.