• DOS LEITORES •

Doação de terreno

Por: Redação | Categoria: Do leitor | 28-12-2019 11:02 | 419
Foto de Reprodução

Ao ler a luta dos irmãos empresários por um terreno para empreender um negócio, nota-se claramente a ideia do imediatismo que permeia o pensamento de nossos governantes. Não se pensa no futuro, o mandato deles é agora! Na China, se alguém levantar o braço dizendo que quer montar um negócio, dar empregos, todo o arcabouço jurídico e econômico do governo é colocado á sua disposição. No Brasil, os governantes querem fazer um "negócio"! Estou falando de modo genérico, não falo contra ninguém especificamente, a começar por aqueles que não conheço, mas é a norma.

Abrem mão de impostos coisa e tal do futuro, mas o de agora é sagrado. Um país tão grande, um povo trabalhador, 12 milhões de desempregados e se alguém quer produzir, gerar empregos, pede uma ajuda e é olhado como aproveitador, querendo se beneficiar das coisas do povo... desempregado!!! O mundo mecanizado passa por transformações que atuam contra o emprego formal.

O Uber, de comando eletrônico, atua no mundo todo e não tem empregados operacionais, só autônomos sem garantias trabalhistas, os Bancos com seus caixas eletrônicos e meia dúzia de bancários tocam uma agência. Na Alemanha, uma fábrica de refrigerantes sem empregados fixos, foi taxada em percentual elevado e a renda foi para o fundo de aposentadoria da categoria. O Brasil já foi o país do futuro, ficou pra trás e se quiser voltar a sê-lo, tem de ter uma política de ajuda governamental em todos o níveis, educacional e produtivo, não adianta só o esforço de alguns...

JONAS JOSÉ NAVES
Rio de Janeiro (RJ)