SESC

Praça de Esportes ainda não vê sinais de obras, mas Sesc diz que virá

Por: João Oliveira | Categoria: Cidades | 11-01-2020 22:12 | 956
Foto de Jornal do Sudoeste

Há cerca de um ano, o Jornal do Sudoeste publicou matéria intitulada “Nas mãos do SESC, Praça de Esportes ainda não vê sinais de obras” e, de lá para cá, a situação se mantém a mesma.  A Praça de Esporte Castelo Branco (PECB) foi doada ao Serviço Social do Comércio de Minas Gerais (Sesc-MG) e teve transferência assinada em julho de 2018. Diversas visitas técnicas já foram realizadas ao local, mas até o momento continua sem ver sinais de obras. A entidade diz que mantém intenção de se instalar no município.

Após ser questionada pela reportagem, a assessoria de comunicação do Sesc Minas informou que “os planos para instalação de uma unidade em São Sebastião do Paraíso estão mantidos. A instituição esclarece ainda que está realizando uma avaliação técnica pra definição de quais serviços e atividades seriam os mais adequados ao perfil dos clientes da região. O resultado desses estudos, assim que concluídos, bem como o projeto e o cronograma de implantação, serão oportunamente divulgados pelo Sesc”.

Em contato com a Prefeitura de São Sebastião do Paraíso, o prefeito Walker Américo Oliveira informou que diante dos contatos feitos junto a entidade, foi informado a ele que o Sesc deve dar entrada nos projetos na Prefeitura em 16 de janeiro. “Isto é para que o setor de aprovação de projetos possa deliberar e, em seguida, iniciar as obras que serão realizadas na Praça de Esporte Castelo Branco, onde funcionará a Unidade do Sesc”, completou.

ENTENDA
Em 2018, na mesma época em que foi assinado documento de retrocessão de antiga área pertencente ao SESC, no Jardim Mediterranèe, para que esta fosse doada pelo município à Universidade Federal de Lavras (UFLA), o município realizou uma permuta doando ao Sesc área onde funcionava a Praça de Esportes Castelo Branco. Vale lembrar que a promessa de instalação do Sesc Minas em Paraíso data de 11 anos.

O documento de retrocessão da antiga área foi assinado pelo até então presidente interino da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio/MG), Lúcio Emilio de Faria Júnior, que se recordou do momento em que foi assinado com o município o protocolo de intenção que envolveria devolução da área para o município diante da permuta com o Praça de Esportes.  Ele havia destacado “grandiosidade desse projeto, que o processo foi muito rápido e só foi possível porque todos acreditaram”.

Embora diga que o Sesc mantém a intenção de se instalar no município, projeto de lei, com emenda feita pela Câmara, assegura a retrocessão da área ao município caso o SESC não inicie as obras no prazo de dois anos e finalize no prazo de três, podendo este último prazo ser prorrogado sob justificativa. O que preocupa, porém, é que desde então não se teve notícia de movimentação no local, tão pouco divulgada a realização de qualquer melhoria na PECB.

Em justificativa ao projeto de lei do chefe do Executivo Municipal, Walker Américo Oliveira, que transfere área ao Sesc, o prefeito destacou que a doação daquela área proporcionaria uma gama de serviços e melhorias e era requisito para que o Sesc pudesse devolver antiga área para que UFLA realizasse a construção do campus. Embora ainda esteja dentro do prazo, o Sesc tem apenas seis meses para iniciar as obras.