DENGUE e ZIKA

Boletim aponta que Paraíso está com baixa incidência de dengue e zika

Por: João Oliveira | Categoria: Saúde | 18-02-2020 18:00 | 703
Higienização e fechamento de caixas de água estão entre as medidas de controle aos focos de criação do mosquito da dengue
Higienização e fechamento de caixas de água estão entre as medidas de controle aos focos de criação do mosquito da dengue Foto de Arquivo

A Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES/MG) divulgou no final da tarde de segunda-feira,17, mais um Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika. O relatório apresenta a quantidade de casos prováveis das doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti no Estado que se aproxima da casa de 13.200 notificações. Em São Sebastião do Paraíso o município é listado no mapa como de baixa incidência, o que tranquiliza os responsáveis pelo setor, embora a recomendação é para que a população não baixe a guarda devido ao clima propício para a proliferação do agente causador destas doenças.

De acordo com  levantamento divulgado neste início de semana, somente em 2020, Minas Gerais registrou 13.178 casos prováveis de dengue até o momento. Quanto aos óbitos, em 2019 foram confirmados 179 óbitos e 77 permanecem em investigação. Em 2020, 10 óbitos permanecem em investigação e até o momento nenhum óbito foi confirmado por Arboviroses.

Em relação à Febre Chikungunya, foram registrados 2.776 casos prováveis de chikungunya em 2019. Desse total, 48 gestantes, sendo 12 com confirmação laboratorial. Em 2020, até o momento, 287 casos notificados. Já em relação à Zika, em 2019 foram registrados 698 casos prováveis, sendo 158 em gestantes. Em 2020 até o momento foram registrados 98 casos sendo 16 em gestantes.

Quanto ao município o quadro apresentado neste ano pode ser considerado confortável em comparação a igual período do ano passado. Em 2020 conforme o último apontamento foram confirmados cinco casos de dengue, uma suspeita de Zika registrada na segunda semana de janeiro, além de 33 notificações. Este quadro coloca o município paraisense na condição de baixa incidência para casos prováveis de dengue, considerando uma população de 70.450 habitantes.

No ano passado a cidade apresentava um quadro bem diferente nesta mesma época do ano. Paraíso havia chegado a segunda quinzena de fevereiro com 978 notificações e 80 casos confirmados, sendo 19 descartados. O quadro iria se agravar ainda mais nas semanas seguintes quando o município viveu situação de epidemia com a explosão de casos de dengue. Além da intensificação das visitas dos agentes nas casas nos bairros mais afetados, foram realizados mutirões de limpeza de quintais, terrenos baldios e uma intensa campanha de conscientização da comunidade. Ainda em 2019 o carro fumacê começou a ser utilizado no final de janeiro em várias regiões da cidade.

Embora a situação esteja melhor controlada neste começo de 2020 a recomendação dos órgãos responsáveis pelo setor é para que a população continue atenta e colabore com a limpeza dos quintais, terrenos e logradouros públicos. A continuidade do período de chuvas, bem como o forte calor que tem feito diariamente é condição favorável a proliferação do mosquito causador da dengue, zika e chikungunya. O objetivo é manter o estado de alerta da população e neste sentido campanhas  continuam sendo realizadas por meio dos veículos de comunicação, nas redes sociais e até mesmo nas escolas neste início de período de ano letivo.