SÃOSINHA

Academia Paraisense de Cultura

Por: Conceição Ferreira Borges | Categoria: Cultura | 23-02-2020 19:58 | 472
Foto de Reprodução

Sãosinha

Homenagens às manifestações culturais brasileiras - Nordeste e Bumba meu Boi.

A Academia Paraisense de Cultura realizou sua primeira reunião de 2020, em 5 de fevereiro em sua bela sede. Mestre de cerimônia a acadêmica Eneida Maria Dionízio Pádua que início à solenidade dizendo que "a cultura de uma região é simbolizada pelas diversas manifestações das tradições e costumes que dão origem à construção da identidade cultural daquele povo".

A Mesa Diretora foi composta pelo acadêmicos, presidente André Luiz Mirhib Cruvinel, secretário Clarindo Anacleto de Pádua Neto, tesoureiro Rômulo Aguiar Generoso, e também pelo senhor Creginaldo Damásio dos Santos, mais conhecido por Paraíba.

O acadêmico presidente fez a abertura oficial citando Guimarães Rosa: "Sertão é onde o pensamento é mais forte do que o lugar".

O Hino da Academia, letra da acadêmica Eliana Mumic Ferreira, música do maestro Calimério Augusto Soares, foi executado ao piano pela maestrina, acadêmica Mirian Lauria Mantovani.

Mensagem exordial - Um poema de Bráulio Bessa, declamado brilhantemente pelo acadêmico Reynaldo Forma-gio Filho.

O "parabéns a você" foi cantado por todos, homenagem à acadêmica poetisa e escritora, Maria Rita Preto Miranda que aniversariou naquele dia. A acadêmica Edyna Maldi Borges entregou a ela, flores lindas.

A acadêmica Angela Maria Pascoal Cardoso leu a História Bumba meu Boi. Foram lidos diversos poemas de poetas nordestinos.

A acadêmica Dalila Mirhib Cruvinel leu o poema "Cartilha do Povo".  O Poeta da Roça, poeta Antonio Gonçalves da Silva, conhecido como Patativa do Assaré foi lido pela acadêmica Marília Neves. "Ai se Sesse" poesia de Zé da Luz, lido pela acadêmica vice-presidente da APC, Leila Yunes.

O acadêmico Rômulo Aguiar Generoso declamou o poema "Parafuso de Cabo de Serrote" de Jesser Quirino. Entre as manifestações culturais do Nordeste, várias lendas e crenças.

O acadêmico Rômulo Generoso leu o currículo de Creginaldo Damásio da Cunha, o Paraíba, que declamou poema história da vida de Patativa do Assaré.

Francisco Manoel da Cunha, nordestino, sanfoneiro, toca acordeon, canta músicas nordestinas acompanhado por Paraíba, na zabumba.

A acadêmica Francisca Borges da Cunha entregou certificado de apresentação ao senhor Creginaldo, e a acadêmica Bernadete Aguiar ao senhor Francisco.

O presidente da APC, André Luiz Mirhib Cruvinel encerrou a solenidade homenageando o Nordeste e sua cultura, de grande valor.

Café cultural - Um momento gentil entre acadêmicos, homenageados e convidados no final de uma importante reunião cultural.

ANIVERSÁRIO DE UMA MUSICISTA
A acadêmica Maria Ofélia Tubaldini aniversariou no dia 2 de fevereiro. Musicista de grande sensibilidade, pianista, entre seus compositores preferidos está Sebastian Bach.

Seu aniversário foi comemorado carinhosamente em família. Recebeu cumprimentos e felicitações de pessoas que têm por ela amizade e grande admiração pela sua arte maravilhosa.