FALECIMENTOS

Vá com deus, Gerson Bícego

Por: Redação | Categoria: Do leitor | 15-03-2020 21:17 | 415
Foto de Reprodução

Gerson Bicego nasceu de Geraldo e Dona Rosinha uma família italiana, sitiante, família unida e trabalhadora; Mocinho foi tentar sua vida na cidade e logo depois com seu espírito empreendedor comprou um caminhão, um sítio, construiu sua primeira casa, montou uma loja de materiais de construção (a MACOL –, quem lembra?),  abriu uma lanchonete, restaurante, estacionamento, mercado Cristo Rei, teve carretas, caminhões, adorava cuidar de gados e da roça ensinando seus netos e por fim foi negociante comprando terrenos,  construía e vendia casas.

Quem teve o privilégio de conhecê-lo, sabe muito bem que Gerson Bicego era um homem de muita fé, viveu sua vida sob três alicerces: TRABALHO, FAMÍLIA E DEUS. Homem lutador, de fibra, honesto, coração de ouro, ministro da Eucaristia, ajudava nos leilões da festa Nossa Senhora de Sion, na época do seminário, abrigava os jovens em seu sítio, se via alguém precisando de ajuda ele era o primeiro a ver o que podia fazer. Grande homem!

ADEUS GERSON BICEGO! Momentos incríveis passamos com ele, para nós filhos alguns muito marcantes como nos ensinar a recitar versinhos de criança, andar de bicicleta, dizia: “Não tem problema se cair levanta de novo e vai”, enérgico em nossas artes, com ele aprendemos a ser gente. Uma trajetória de vida maravilhosa. Viveu intensamente, pode experimentar muitas emoções, acompanhou e curtiu o crescimento e as conquistas dos filhos: formaturas, casamentos, nascimentos. Participou de tudo! Foram muitos momentos vividos intensamente: Formou seus quatro filhos em faculdade particular, nunca teve medo de lutar e venceu todos os obstáculos possíveis com muita garra junto com sua esposa Edna. Viu seus nove netos nascerem e crescerem, uns já formados, ficava feliz demais com a vitória de cada um.

Ele e sua esposa muito unidos em tudo que fossem fazer, muitas viagens, festas, barzinhos, bingos, formaturas, casamentos, aniversários, quermesses, doações, ajudas humanitárias, aconselhamentos...

Como um fiel italiano, gostava de comer bem sua macarronada, seu franguinho caipira com o tutu preparado por Dona Edna com o quem foi casado há mais de 57 anos, e 10 anos de namoro, linda história deste casal. Nós filhos e netos tivemos o exemplo deste pai de pulso firme, sem deixar de ser doce, sempre amigo, companheiro, sorriso sincero.

“Como HOMEM DE DEUS, nos últimos dias, papai pode fazer silêncio, conversar com Deus e se elevar ainda mais, ao mesmo tempo preparava a todos para o momento da despedida e sentia o imenso amor de sua família. Tudo como um autêntico CRISTÃO, que sempre foi.”

O céu alegra-se com sua presença! Leva na bagagem essa linda história. Leva o seu maior legado, o amor de todos nós, de sua grande família: irmãos (as), cunhados (as), sobrinhos (as), esposa, seus quatro filhos (as), nove netos (as), três genros e uma nora, além dos muitos e muitos amigos (as) na qual agradecemos de todo coração tanto carinho, apoio, orações, celebrações... E agora devolvemos ele para Deus, deixando muita saudade. Vá com Deus Gerson Bícego.