MISSAS

Diocese suspende missas e celebrações da Semana Santa

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Cidades | 20-03-2020 20:18 | 466
Além das missas, eventos e reuniões nas igrejas foram suspensas por tempo indeterminado
Além das missas, eventos e reuniões nas igrejas foram suspensas por tempo indeterminado Foto de Reprodução

Em decisão conjunta com a Arquidiocese de Pouso Alegre, a Diocese de Guaxupé expediu na quarta-feira  decreto em que suspende as celebrações e atividades eclesiais da Igreja Católica, por 30 dias.  As medidas são justificadas para atender as recomendações das autoridades sanitárias diante da pandemia do novo coronavírus.

“Estamos com as celebrações suspensas conforme pedem os órgãos de saúde e por Decreto do nosso Bispo Diocesano, mas é oportunidade de fazermos o nosso retiro quaresmal e exercitar o que nos pede a Campanha da Fraternidade, termos compaixão, olhar e cuidarmos um dos outros”, disse o padre Marcelo Nascimento dos Santos, da Paróquia São José, que interrompeu as celebrações e festividades em honra do padroeiro celebrado dia 19 de março. O comunicado foi divulgado nas paróquias que continuam com as portas abertas para acesso das pessoas.

No final da tarde de terça-feira,17, o arcebispo metropolitano de Pouso Alegre, dom José Luiz Majella Delgado, decretou a suspensão, por 30 dias, de todas as missas e celebrações.

A medida abrange desde as missas, mutirões de confissões, celebrações penitenciais, batizados, catequeses, crisma, exéquias, procissões, via-sacra, encontros e reuniões de grupos e movimentos da igreja. Quanto aos matrimônios pede-se que as partes busquem entendimento e definam critérios para a sua realização.

Para a Semana Santa pede-se que os fiéis assumam a vivência do espírito de penitência, que seja intensificada a prática dos exercícios espirituais (oração, jejum e a caridade). A família deverá viver em casa este momento em oração, meditação da palavra.

Outra recomendação é que se acompanhem as celebrações de fé pelos meios de comunicação da igreja. O comunicado da Arquidiocese foi amplamente divulgado pela Diocese de Guaxupé e também por todas as paróquias de São Sebastião do Paraíso, informando os fiéis sobre as decisões tomadas.

O Decreto vale por 30 dias, podendo ser revogado ou prorrogado, e tem validade em todo o território arquidiocesano. As missas serão celebradas na forma “sine popula” que significa sem a presença de público.

Em meio a festa do padroeiro a comunidade de São José que tinha se preparado há meses para este momento se viu obrigada a suspender as festividades. Entre os fiéis e devotos ficou um clima de frustração. “Ninguém esperava por uma situação desta, mas temos de ser obediente a igreja. Certamente teremos outras oportunidades de festejarmos a nossa devoção ao nosso santo”, comentou em tom de lamento a religiosa Maria Sebastiana da Silva.

Na quinta-feira,19, ocorreu a primeira missa com a presença do celebrante e seus auxiliares, sem a presença dos fiéis. A alternativa das paróquias são as transmissões através das rádios, emissoras de TV e também as lives pelo Facebook.

O mesmo sentimento foi demonstrado nas palavras do padre Marcelo Nascimento, da Paróquia São José. Mesmo que no município não exista nenhum caso confirmado da doença, ele declarou que a suspensão das celebrações e festividades atende as determinações superiores da igreja. “Temos o Decreto do Bispo Diocesano, que é válido para toda a região como medida de prevenção contra a contaminação do Coronavírus e assim está sendo feito por amor e zelo a todos nós”, disse.

Na Matriz de Nossa Senhora de Sion, o padre José Donizetti Faria se dirigiu aos seus fiéis através de comunicado divulgado nas redes sociais da Paróquia. “A partir de hoje, 18 de março de 2020, seguindo orientações da Diocese de Guaxupé, juntamente com toda Igreja e seguindo orientações Municipais, Estaduais e Federais, conforme Decreto, está suspenso missas, catequeses, encontros e reuniões de pastorais, via-sacra, procissões e celebrações da Semana Santa”, anuncia. Diz ainda que as medidas possuem validade por tempo indeterminado, até um novo pronunciamento da igreja.

A decisão agora adotada por todas as igrejas vem de encontro com medida inicial tomada pelo padre Guaraciba Lopes de Oliveira Júnior, da matriz São Sebastião. Foi ele quem primeiro, já na segunda-feira,16, havia determinado a suspensão das atividades, inclusive missas e o mutirão de confissão na paróquia. A decisão chegou a ser considerada como radical, mas agora, que a mesma medida foi adotada por todos, acaba sendo melhor aceita pela comunidade.

O aparecimento dos primeiros casos suspeitos do novo coronavírus na região Sul de Minas já havia provocado mudanças nas celebrações no final de fevereiro quando a Arquidiocese havia editado o primeiro Decreto. No documento havia a orientação para que durante as missas fosse evitado o “abraço da paz”, e que não se unissem as mãos na oração do Pai Nosso. Outra medida adotada foi que a Eucaristia passou a ser distribuída nas mãos, e não na boca, e que a comunhão ocorresse diante do ministro da eucaristia.

As igrejas também receberam a orientação de suprimir o uso de água benta nas portas e deixar os locais de reuniões e celebrações arejados com ventiladores e abertura de portas e janelas.