PESSOAS

Zema restringe circulação de pessoas e cabe ao município atuar sobre comércio

Por: Redação | Categoria: Cidades | 21-03-2020 22:23 | 50
Foto de Reprodução

O governador Romeu Zema assinou na quinta-feira,11, deliberação que restringe a circulação de pessoas em Minas Gerais e adotou outras medidas para intensificar as ações para evitar a disseminação do Coronavírus. Ele ressaltou também que os municípios tem autonomia para atuarem em relação a proibição ou não da atividade comercial em seus respectivos territórios.

Entre as medidas anunciadas por Zema consta que o transporte coletivo entre os municípios deve ser feito sem exceder a metade da capacidade de passageiros sentados. Para o transporte coletivo urbano e rural, não poderá ser excedida a capacidade de passageiros sentados.

Desta maneira, o Executivo estadual pretende reduzir a possibilidade de contágio. A preocupação em relação a expansão da doença é justificada em função de em Minas Gerais já ter apresentado a contaminação comunitária, que é quando não se sabe de quem o paciente contraiu a doença. Tendo em vista este cenário, é que se fazem necessárias as medidas adicionais para frear o avanço do Coronavírus.

A deliberação traz ainda determinações aos municípios em que há registro de contaminação comunitária. Como o Estado não possui competência para mandar fechar comércio nas cidades mineiras, o governador determinou que as prefeituras atuem nesse sentido, resguardando serviços essenciais como farmácias e supermercados. Entram no rol de estabelecimentos que devem paralisar a prestação de serviços academias, shoppings, bares, restaurantes, dentre outros.

Para farmácias e supermercados, fica proibida a prática de preços abusivos em decorrência da situação de excepcionalidade. Eles também terão de fixar um horário específico para atender aqueles que possuem mais de 60 anos. Para evitar desabastecimento, os comerciantes e fornecedores deverão estabelecer limites para a aquisição de bens essenciais à saúde, higiene e à alimentação. As indústrias e o comércio deverão estabelecer escalas e revezamento de turnos, de forma a reduzir a aglomeração de funcionários.

Os municípios ainda deverão determinar a higienização minuciosa dos veículos utilizados no transporte coletivo e os oriundos de aplicativos, conforme já ocorre com os metropolitanos. Esses veículos deverão circular com janelas abertas. O governador decidiu ainda proibir a realização de eventos e de reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado, incluindo excursões, cursos presenciais e outros com mais de 30 pessoas.