CRÔNICA HISTÓRICA

Partido Republicano Municipal (1924)

Por: Luiz Carlos Pais | Categoria: Cultura | 25-03-2020 22:53 | 158
Fonte: Monitor Mineiro. Guaranésia, 13 de abril de 1924
Fonte: Monitor Mineiro. Guaranésia, 13 de abril de 1924 Foto de Reprodução

Em meados da década de 1920, uma das legendas políticas com diretório em São Sebastião do Paraíso, importante polo cafeeiro do sudoeste mineiro, era o Partido Republicano Municipal. Alguns fragmentos históricos desse contexto foram preservados nas páginas do Monitor Mineiro, jornal de Guaranésia, mesma região, edição de 13 de abril de 1924. Tratava-se de um jornal com longa trajetória de circulação e naquele momento estava no em seu 24º ano de publicação, sob a direção do jornalista Wenceslau de Almeida.

O referido jornal, que sempre divulgava os acontecimentos políticos mais importantes da região, noticiou a reorganização do diretório paraisense do Partido Republicano Municipal, então sob a presidência do coronel José Honório Vieira, um dos líderes políticos mais influentes da cidade, dono da Fazenda Sapé e outras propriedades rurais da região. O coronel José Honório era conhecido na grande imprensa paulista como o “Rei do Café de Minas” e foi uma presença marcante nos eventos do bicentenário da introdução da cafeicultura no Brasil, realizado em São Paulo, no segundo semestre do ano de 1927. Era considerado na imprensa paulista como um fazendeiro moderno e chegou a custear a produção de um filme para mostrar a exuberância de suas propriedades e de seus cafezais, nos quais trabalhavam cerca de “dois mil colonos”, conforme registrava alguns jornais paulistanos.

Na visão do jornalista de Guaranésia, conhecedor das principais forças políticas do sudoeste mineiro, o Partido Republicano Municipal era uma legenda que atuava em plena sintonia com a orientação do Partido Republicano Mineiro. Essa última legenda compartilhou com o Partido Republicano Paulista, durante três décadas, o comando da política nacional com a indicação alternada de mineiros e paulistas eleitos para a Presidência da República, na chamada política do café com leite. De certo modo, o movimento revolucionário de 1930, liderado por Getúlio Vargas, tentou acabar com essa hegemonia exercida pela elite dos políticos mineiros e paulistas.

Em 1924, o diretório do Partido Republicano Municipal de São Sebastião do Paraíso ficou assim composto: coronel José Honório Vieira (presidente), coronel João Batista Teixeira (vice-presidente), Paulo Guedes (secretário), mais os seguintes membros: Lucas Dutra, Jaime Pimenta de Pádua, Antônio Marques de Souza, Antônio Leôncio de Castro, José Oliveira Rezende, Luiz de Rezende, Antônio de Oliveira Rezende, Saturnino Pimenta de Pádua, Damião Buson, Manoel Francisco Vianna, Ricardo Pedroso e Francisco Pimenta júnior. Passou o tempo, ficaram as memórias e a história regional.