APC

É. O que temos para hoje?

Por: Fernando de Miranda Jorge | Categoria: Do leitor | 01-04-2020 14:40 | 118
Fernando de Miranda Jorge
Fernando de Miranda Jorge Foto de Reprodução

Temos, para hoje, um papel em branco e uma caneta. Um olhar perdido, e atento pelas manhãs, à espera do nascer do sol, lá na "Serra da Ibituruna", constituída num importante patrimônio do povo de Nova Resende, se destacando por ser uma reserva de fauna e flora específica de campos de altitude, com área de 77,3900 hectares. Temos o privilégio de apreciá-la, a olho nu ou de binóculo, daqui de Jacuí, quando a neblina, a névoa, ou a bruma de uma nuvem, em contato com, ou próxima ao solo,  nos permitem! Temos, para hoje, pontualmente, um "CORONA" (Coronavirus) que, a essa altura, pegou uma "carona" e escafedeu-se.

Temos, para hoje, um silêncio entrecortado de pios de pássaros, ora alternado com o cantar de um galo preto e branco, caracterizando o barulho da madrugada, pois sabemos que as madrugadas são dos galos. E, com o isolamento social, do #fique em casa, acordar às cinco horas não é nada de estranhar. Mas dá uma vontade de gritar: bom dia! Bom dia, dia! Sexta feira,  27, 11° dia de quarentena, não saia, fique em casa.

É ruim? É bom? Sei lá... Estou doido para dar umas esticadas. Do jardim da minha casa, não vejo o vaivém dos transeuntes para o início do labor diário, como sempre acontece.

Tudo parado, com quase tudo fechado,  curtindo uma Quaresma diferente e apropriada para tal. Orando jejuando, como muitos adeptos nesta época.

Sempre nos defrontamos com os opostos: doente - são, dia - noite, guerra - paz, maldade - bondade, trabalho - férias (forçadas por conta desse vírus maldito).

O Outono pontua: manhãs friorentas ao raiar do dia; ao meio do dia, esquenta e, às tardinhas, de horizontes avermelhados no céu e lindos pores do sol.

Temos, para hoje, ainda hoje, um sorriso, apesar dos pesares do momento, um agradecimento e bem com a vida, com saúde.

O que há ainda mais para hoje? Sim, há. "Não nos preocupemos com o dia de amanhã, pois o amanhã trará suas próprias preocupações." (Mateus 6.34). Será que teremos alguma coisa mais para hoje? Sim! Saudades de minha mãe Nega, 102 anos. E oito de sua ausência.

Fernando de Miranda Jorge - Acadêmico Correspondente da APC / Jacuí/MG
fmjor31@gmail.com