REDUÇÃO

Presidente da Câmara quer reduzir salário de prefeito, vice, secretários, vereadores e comissionados

Por: João Oliveira | Categoria: Política | 07-04-2020 22:48 | 1769
presidente da Câmara Municipal, Lisandro José Monteiro
presidente da Câmara Municipal, Lisandro José Monteiro Foto de Reprodução

Projeto de lei que o presidente da Câmara Municipal de São Sebastião do Paraíso, Lisandro José Monteiro pretende apresentar assim que as sessões voltarem à normalidade, irá propor a redução de salários de representantes políticos e cargos comissionados no município. Lisandro afirma que esta proposta vem sendo estudada por ele há algum tempo.

"Já venho estudando este projeto há um bom tempo, pensando em como poderia contribuir para enxugar a máquina pública e recurso voltar em forma de benefício à população. Os salários são muito altos, há tantas pessoas que trabalham voluntariamente em prol do povo e não ganham nada, então não se justifica um cargo público ter salários tão altos", explica o vereador.

Lisandro publicou um vídeo em redes sociais onde anunciou sua decisão. Ele destacou que tem observado brigas que tem acontecido entre políticos e imprensa, mas que o mais importante neste momento é pensar nas vidas e no que pode ser feito para preservá-las frente à pandemia de coronavírus.

"Estamos vendo o exemplo lá fora. Precisamos parar com politicagem e fazer o que é humano, ter amor pelo próximo. Em meio a todas essas discussões, eu não vi nenhum deputado, vereador, prefeito falar sobre o político. Eu ia colocar este projeto em pauta na sessão anterior. Meu projeto estava sendo analisado juridicamente. Mas ele já foi analisado e será colocado em pauta na primeira sessão legislativa próxima", anunciou.

O projeto prevê redução de salário do vereador, prefeito, vice-prefeito, secretariado e cargos comissionados. "Hoje um vereador ganha R$6,2 mil, com o projeto ganhará em torno de dois salários: R$2,2 mil. O prefeito, que recebe em torno de R$ 21 mil reais, o salário deve abaixar para R$ 9,5 mil; o da vice-prefeita, que recebe cerca de R$ 10,8 mil, deve passar a receber em torno de dois a três salários; já os secretários, que recebem em torno de R$ 7,5, deve ser reduzido para em torno de R$ 4 mil. É um salário digno e dá para viver muito bem em uma cidade como São Sebastião do Paraíso", defendeu.

O vereador defendeu ainda que a proposta é para cargos que não são efetivos, que o ocupante não precisou estudar ou prestar uma prova, concurso. "É um cargo, essa cadeira não é nossa. Eu fui eleito para defender o povo. Se eu quero ganhar dinheiro e ficar rico, então vou trabalhar lá onde eu sei, que é no meu açougue, comprar boi, seja o que for, não aqui. Esse dinheiro é dinheiro público, do povo, que paga imposto e deve ser revertido para vocês, como no caso dessa crise que estamos passando. Todos estão sofrendo", disse.

Lisandro disse que atual crise do coronavírus irá mexer economicamente com todos, e que os políticos devem ser o exemplo. "Que fique aqui o meu legado e que os outros municípios compartilhem esse exemplo, que compartilhe com o Brasil", finalizou. 

Se seguir todos os ritos, o projeto, após ser tramitado na Casa Legislativa e passar pela sanção do Executivo, só passará a valer no quadriênio 2021/2024.