ARMAS DE FOGO

Em “Operação Arapuca”, Polícia Civil prende foragido que comercializava armas de fogo

Por: João Oliveira | Categoria: Polícia | 04-05-2020 16:09 | 843
Foto de Reprodução

A Polícia Civil em São Sebastião do Paraíso deflagrou no município no Dia do Trabalho (1/5), a “Operação Arapuca”, que resultou na prisão de um homem que estava foragido da justiça, com três mandados de prisão em aberto, sendo um deles latrocínio que vitimou duas pessoas na cidade de Itamogi, em outubro de 2018.

De acordo com as investigações, o homem estaria negociando armas de fogo e munições em São Sebastião do Paraíso, onde foi preso. Também foi apreendida uma arma de fogo calibre 38, com numeração raspada, 25 munições calibre 38 e 40 munições de calibre 22.

Além disso, foram encontradas anotações de valores e negociações com as vendas dos materiais realizadas pelo suspeito. Conforme a Polícia Civil, o nome da operação Arapuca faz alusão ao hobby praticado pelo foragido: caçar animais silvestres. Segundo a PC, as investigações prosseguem a fim de identificar a origem e o destino das armas e munições que foram comercializadas.

O LATROCÍNIO
O latrocínio, que resultou em duas mortes em uma tentativa de assalto a uma propriedade rural em Itamogi, aconteceu no dia 16 de outubro de 2018. A época, um funcionário do sítio e um dos suspeitos foram baleados pelos outros criminosos após começarem a brigar.

Conforme informações, um grupo de pelo menos cinco homens armados e encapuzados invadiu a propriedade na zona rural e dois deles entrarm na casa à procura do dinheiro do sítio. Na residência, os criminosos amarram uma mulher e duas crianças e fizeram pelo menos mais um adulto e uma criança reféns.

O funcionário da propriedade foi até a casa e entrou em luta corporal com um dos suspeitos. Neste momento, um dos assaltantes atirou na direção dos dois homens e atingiu o comparsa no rosto. Ele morreu no local e por estar sem documentos não foi possível identificá-lo.

Ao ouvir os disparos, os outros três assaltantes entraram na casa atirando. Um dos tiros atingiu o funcionário do sítio, de 48 anos, que também morreu no local. As outras pessoas que estavam na casa não ficaram feridas. A época, os quatro suspeitos conseguiram fugir.