TERRA NOSTRA

Populações Italianas

Por: Manolo D´Aiuto | Categoria: Cultura | 21-05-2020 07:22 | 481
Foto de Reprodução

Bem-vindos amigos leitores, na semana passada vimos o nascimento de Roma através da história de seu fundador Romolo, hoje trataremos das populações italianas que habitavam a península por volta do século VI aC.

A Itália sempre foi influenciada pelos povos vizinhos devido à sua forma física estreita  e longa.

A maior migração ocorreu dos povos de origem indo-europea, entre os quais os próprios latinos fundadores de Roma, e população celta, que incluie os venezianos e os ligures e que se estabeleceram na parte norte da península e, finalmente, os povos de língua grega que colonizaram grande parte do sul da Itália, formando a chamada Magna Grécia.

De todos os povos que entraram em contato com a cultura romana, os etruscos e gregos foram os que mais influenciaram a formação da futura capital imperial.

Os etruscos eram um povo da Itália antiga que viveu entre o século IX aC. e o primeiro século aC em uma área chamada Etrúria, correspondendo aproximadamente à Toscana, Úmbria ocidental e norte e centro da Lácio, com ramificações também no norte na área de Po, na atual Emília-Romanha, sudeste da Lombardia e sul do Vêneto e no sul , em algumas áreas da Campânia.

A civilização etrusca teve uma profunda influência na civilização romana, posteriormente se fundindo com ela no final do primeiro século aC. Esse longo processo de assimilação cultural começou com a data tradicional da conquista da cidade etrusca de Veio pelos romanos em 396 aC e terminou em 27 aC, o primeiro ano do principado de Otaviano, com a concessão do título de Augusto.

A influência etrusca foi tal que três dos sete reis de Roma eram etruscos.

Sob a dinastia etrusca Tarquini (últimos reis de Roma), grandes obras públicas foram realizadas, incluindo aquedutos, muralhas da cidade, sistemas de esgoto e imensos templos, como o dedicado a Júpi-ter, Juno e Minerva no Capitólio.

Tarquinio Prisco era um habitante muito rico e conhecido da cidade etrusca de Tarquinia, que emigrou para Roma e se tornou o quinto rei de Roma. Segundo a tradição, ele construiu o Circus Maximus como local permanente para corridas de cavalos; antes disso, os espectadores assistiam às corridas que aconteciam aqui a partir de postos improvisados.

Após fortes inundações, que afetaram especialmente as áreas onde o futuro Fórum Romano surgiria, ele começou a construção do Cloaca Mas-sima, que por dois milênios manteve a área originalmente pantanosa na base das colinas de Roma recuperada. Ele foi então responsável pelo início das obras da construção do Templo de Capitol Júpiter na colina de Campidoglio.

Servius Tullius foi o sexto rei de Roma tambem de origem etrusca; ele construiu o templo de Diana no Aventino, transferindo o culto latino de Diana Nemorensis para Roma. Servio também atribui a decisão de construir o Templo de Mater Matuta e o Templo da Deusa Fortuna, ambos no Forum Boarium. A ele é atribuída a construção dos Muros Servianos, as primeiras defesas unitárias de Roma, representadas por um aterro maciço construído nas áreas mais expostas da cidade e pela união das defesas individuais das colinas.

O último rei de Roma de origem etrusca foi Tarquinius, o Soberbo, de acordo com a tradição sob seu reinado furam completada a Cloaca Máxima e o Templo de Júpiter Capito-lino. A recuperação da área do antigo Fórum Romano devido à Cloaca Maxima possibilitou a formação de uma antiga vila no sopé do monte Palatino chamada Vicus Tuscus, porque era originalmente habitada por comerciantes etruscos.

Sob a hegemonia desses reis etruscos, os romanos aprenderam a estratégia de guerra que, com o tempo, melhorou e refinou até exceder seus mestres.

A proximidade entre esses dois povos fez com que, durante o curso da monarquia e nos primeiros dias da república, muitas batalhas tivessem ocorrido entre eles, e muitos viram os etruscos, que podiam contar com cidades mais ricas e evoluídas para ter vantagem.

O primeiro século aC teve que ser esperado ter a completa assimilação das cidades etruscas na república romana.

Em 89 aC os etruscos e os colonos latinos obtêm a cidadania romana.

A vitória de Roma nas guerras contra os etruscos levou o último a ser absorvido pela cultura romana, enquanto Roma se tornou uma das maiores potências do Mediterrâneo ocidental, juntamente com os gregos e cartagineses. Mais tarde, na época do imperador Augusto, a VII Região, chamada Regio VII Etruria, foi estabelecida dos onze em que o território da Itália romana estava dividido.

Da derivação etrusca estão o sistema numeral, a cerimônia do triunfo, a toga com borda roxa (praetexta), o cetro de marfim encimado por uma águia, símbolo de comando; os feixes de varas e machados amarrados juntos, transportados pelos doze lictores, cujo número, recorrente no cerimonial romano, remontam aos dodecápolis da federação etrusca.

A fundação de Roma ocorreu de acordo com o rito etrusco, com o pomerium, isto é, com o espaço da terra sagrada, deixado ao longo das paredes por dentro e por fora, onde não era permitido arar, fabricar ou viver.

Dos etruscos, os romanos também aprenderam geometria, arquitetura, música e, em particular, atividade teatral e organização de jogos; de fato, da Etrúria, os primeiros atores (histriones) chegaram a Roma e a construção do primeiro Circus Maximus remonta a Tarquinio Prisco.

Mas, acima de tudo, na esfera religiosa, os etruscos tiveram uma forte influência sobre os romanos: a tríade de Roma e Júpiter, Juno e Minerva se originou dos etruscos, bem co-mo a doutrina dos bons desejos e a aruspicina, para atrair os presságios do vôo e do canto dos pássaros. e à observação das entranhas dos animais sacrificados.

Somente a língua dos etrus-cos foi definitivamente obscurecida pelos romanos, de modo que até hoje os estudiosos lutam entre si na tentativa de descobrir sua chave.

Poderíamos conversar por horas sobre a cultura etrusca, sobre esse mistério lendário e misterioso de algumas maneiras, mas o que mais importa é saber como e quanto sua cultura formou e influenciou o povo romano.

Uma coisa a notar é como os romanos, desde sua origem, estavam sempre prontos para assimilar o conhecimento vindo de outros povos mais avançados para eles, veremos a influência dos gregos na próxima vez e melhorar o que aprenderam até se tornarem os próprios mestres nessas artes.

Hoje existem escavações e achados maravilhosos pertencentes à era etrusca que podem ser visitados nas províncias do alto Lácio e da baixa Toscana, onde é possível admirar sua famosa necrópole, onde são visíveis artefatos de arte de valor inestimável, um destino que merece ser visitado. visitou também dada a proximidade de Roma.

Obrigado a todos e até a próxima semana,Ciao
Manolo D’Aiuto/Il Vero Italiano