RECUPERADOS

Médico paraisense comemora recuperações de pacientes infectados pelo coronavirus em São Paulo

Na linha de frente contra a doença em São Paulo, Fernando Montaldi é um dos coordenadores das operações da Covid-19 em São Caetano do Sul
Por: João Oliveira | Categoria: Saúde | 23-05-2020 11:31 | 4482
O médico Fernando Montaldi e sua paciente dona Luiza, de 103, recuperada do coronavírus
O médico Fernando Montaldi e sua paciente dona Luiza, de 103, recuperada do coronavírus Foto de Reprodução

O médico paraisense Fernando Montaldi, é um dos profissionais da saúde que está no grande epicentro de coronavírus no Brasil, em São Paulo. Ele atua na linha de frente na luta contra a doença que tem levado tantas pessoas queridas e, apesar da situação, o médico tem tido motivos de sobra para comemorar, entre elas a recuperação de pacientes em situação muito debilitada como a dona Luiza, de 103 anos, e Therezinha, de 93.

Montaldi é cardiologista e até o início da pandemia, atendia em seu consultório particular onde mora, em São Caetano do Sul, na grande São Paulo. Antes disto, ele havia sido coordenador do SAMU de Mauá e com o início da pandemia foi convidado para coordenar as operações da COVID-19 em São Caetano do Sul.

Conforme conta, os números ficaram muito positivos e logo vieram novas propostas de coordenação. Hoje ele é coordenador de 600 leitos da COVID-19 e também de mais de 1500 médicos na luta contra a pandemia de coronavírus.

Recentemente, uma de suas pacientes, dona Luiza, de 103 anos, ganhou manchetes em todo país após vencer a luta contra o coronavírus.

Além da dona Luiza, outros pacientes também conseguiram vencer o que parecia impossível, como o enfermeiro Eliude. "O Eliude é um enfermeiro que trabalhou com a equipe, no primeiro mês pegou a COVID-19, aqui mesmo, em uma das UTIs que coordeno. Ele chegou a ser intubado, teve duas paradas cardíacas e nessa semana demos alta pra ele. A dona Luiza e o enfermeiro Eliude são dois símbolos de nossa luta", comemora o médico.

O cardiologista comenta que muitas pessoas o questionam sobre ter medo da morte mediante a situação de risco que ele se coloca todos os dias, todavia ele ressalta que a tragédia da vida não é morte, mas uma vida sem propósito.

"O nosso propósito como médico, como trabalhador da área da saúde, é não desistir. Cenas como esta da dona Luiza, de 103 anos, nos motiva ainda mais. Precisamos lembrar sempre que não somos seres humanos vivendo uma experiência espiritual, somo seres espirituais vivendo uma experiência humana. Com carinho, a amor e união sempre, nós vamos vencer essa", finaliza.

 O médico e sua paciente Therezinha, que também venceu a luta contra o coronavírus
Montaldi e o enfermeiro Eliude, que contraiu a doença quando estava na linha de frente e quase perdeu a vida