• Dos Leitores •

Isolamento social e a violência doméstica e familiar

Por: Redação | Categoria: Do leitor | 23-05-2020 18:17 | 139
Foto de Reprodução

Pandemia, quarentena, isolamento social, termos que vêm sendo usados diariamente, basta ligar a TV, acessar as mídias sociais que lá estão eles, infelizmente favorecendo o aumento do número de casos de violência doméstica e familiar.

A violência doméstica e familiar vai muito além da violência física, a mais conhecida pelo cidadão e pela cidadã, ela também pode ser violência patrimonial, violência moral, violência psicológica e violência sexual e todas estão previstas na lei Maria da Penha. Estes tipos de violência ocorrem normalmente dentro do lar, local onde deveria trazer segurança, paz , ser o porto seguro.  A lei surgiu da necessidade de coibir a violência contra a mulher.

Em tempos do isolamento social, o quadro da violência doméstica vem se agravando, aumentando a vulnerabilidade desta mulher e desta família, uma vez que passaram a ter uma convivência ainda mais turbulenta, muitas vezes ocasionada quando a mulher deixa de cumprir o papel que a sociedade lhe impõe em função do patriarcado, como lavar, passar, cozinhar e também,  muitas vezes por problemas financeiros ou por alcoolismo, entre outros. Assim, esta mulher perde o convívio com outras pessoas da família e com amigos, pessoas que podem ser um diferencial na vida. Atinge qualquer nível social, estando presente também em relações homossexuais.

A banalização da violência doméstica e familiar faz com que infelizmente as pessoas passem a achar que: ¨ é assim mesmo¨, mas não é. Devemos denunciar. É papel de toda cidadã e todo cidadão exercer a cidadania.

Existem meios de se fazer uma denúncia, podendo ser através do número 180, onde a pessoa não precisa se identificar. Funciona 24 horas por dia mesmo em tempos de pandemia. O agressor será intimado a comparecer a delegacia para prestar esclarecimentos, e a partir daí, outros procedimentos serão tomados pela autoridade.

A DEAM - Delegacia de Apoio a mulher –  local onde se faz o boletim de ocorrência. Está atuando mesmo nesta época de isolamento,

Outro local onde se pode pedir ajuda: 190 Polícia Militar.

Associação AJUDA MULHER, nas mídias sociais

Violência contra a mulher é crime!  Não se cale! Denuncie!
Valéria Regina Salvador
Advogada OAB-MG 188.774.