ESGOTO

Taxa de esgoto da Copasa em Paraíso é 300% maior que o cobrado pelo SAAE de Passos

Por: Sebastião Tadeu Ribeiro | Categoria: Cidades | 30-05-2020 11:34 | 1975
Consumidor Paraisense paga em média mais de 300% da conta de água e esgoto em comparação ao consumidor Passense
Consumidor Paraisense paga em média mais de 300% da conta de água e esgoto em comparação ao consumidor Passense Foto de Reprodução

Desde quando a Copasa iniciou a cobrança da taxa de esgoto com porcentagem beirando 100% no valor da conta do consumo de água, a maioria absoluta dos consumidores paraisenses reclama veementemente e já até fez protestos , passeatas e alguns políticos entraram na justiça a respeito dos altos custos que pagam os consumidores paraisenses.

Atendendo pedidos analisamos um talão de conta de água e esgoto pago por consumidor paraisense a Copasa, e comparamos com o valor pago por passenses, por metro cúbico ao SAAE  que o Serviço de Água e Esgoto que pertence a própria Prefeitura de Passos.

O consumidor paraisense pagou no dia 20 de maio por 25 metros cúbico de água e esgoto R$332,62, fora multa e juros de mora, enquanto em Passos por 24 metros cúbicos de água e esgoto e demais tarifas, o total foi de R$98,22.

Então, o metro cúbico cobrado pela Copasa foi de R$ 13,30 – ou seja, R$332,62 – dividido pó 25 metros cúbico, enquanto em Passos o SAAE foi  R$ 4,09 o metro cúbico,  R$ 98,22 de água e esgoto dividido por 24  metros cúbicos.

O consumidor paraisense paga R$ 9,46 a mais por metro cúbico de água e esgoto do que paga o consumidor Passense, sendo mais de 300%, um absurdo, um massacre em cima do consumidor paraisense.  Vale frisar que em Passos a título de tarifa para tratamento de esgoto o SAAE acresce 50%  sobre valor do consumo de água,  enquanto que em Paraíso a Copasa cobra quase 100% . 

Autoridades paraisense têm motivos de sobra para se empenhem pra valer para que a Copasa reduza a taxa de esgoto para pelo 50%, e reveja, para baixo, os preços cobrados pelo metro cúbico de água e esgoto, pelo qual o consumidor parai-sense paga 300% a mais do que o consumidor passense.