PRESOS

Suspeitos de planejar assalto à agência bancária são presos no Veneza

Por: João Oliveira | Categoria: Polícia | 15-06-2020 12:33 | 4904
Foto de Reprodução

Suspeitos que estariam supostamente planejando realizar o “crime do sapatinho” em São Sebastião do Paraíso tiveram a ação frustrada após abordagem policial no final da noite de domingo (14/6). Segundo informações da Polícia Militar, os indivíduos se reuniram em uma residência no bairro Veneza, onde estariam planejando o crime que consiste no sequestro do gerente da agência para que os assaltantes tenham acesso aos terminais eletrônicos e cofre. Os suspeitos tinham antecedentes por tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, receptação, assalto e homicídio.

De acordo com a PM, durante a aproximação das equipes policiais ao endereço, foi avistado um veículo Nissan estacionado próximo à residência, momento em que um indivíduo que se encontrava no veículo, ao avistar as viaturas, fugiu para o interior da residência, não obedecendo à ordem de parada pelos policiais militares.

Foram abordados os suspeitos H.S.F., 29 anos, Y. E. S.P., 20 anos, I.J.S., de 39 anos, D.S.B., de 20 anos, M.S.R., de 20 anos, W.C.S., de 36 anos, e G.C.B.S., de 20 anos, todos desempregados e com antecedentes criminais. Conforme a PM, os suspeitos H, I, D, M e W.C.S., são de Contagem e alegaram que vieram para trabalhar na colheita de café, porém, não souberam dizer o nome de quem os teriam contratado. I.J.S., que informou ser se Serrana, disse ter vindo para a cidade sozinho para providenciar uma turma para a colheita de café.

A outra suspeita, G.C.B.S., disse que residia no endereço e que foi I.J.S, quem teria reunido todas as pessoas naquela residência, com o intuito de a ajudarem no pagamento do aluguel. Entretanto, um dos suspeitos teria chegado em um veículo Fiat, com placa de Igarantinga, e parado o veículo duas ruas à frente do endereço, não sabendo relatar o motivo, já o outro suspeito, de Serrana, parou seu veículo Corsa em frente ao endereço.

Durante as diligências no interior da residência, os celulares dos suspeitos começaram insistentemente a tocar, recebendo chamadas e mensagens, sendo assim, recolhidos para perícia.

Todos os suspeitos têm passagens com antecedentes criminais, pelos crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, receptação, assalto e homicídio. Os suspeitos foram presos.