INDETERMINADO

Cirurgias eletivas serão suspensas por tempo indeterminado

Por: João Oliveira | Categoria: Saúde | 27-06-2020 10:30 | 338
Foto de Reprodução

A Prefeitura de São Sebastião do Paraíso, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que, de acordo com a Nota da Secretaria Estadual de Saúde — Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coes Covid-19), emitida no último dia 24, e também o comunicado divulgado pelo Hospital da Santa Casa local nesta sexta-feira (26/6), estão suspensas as cirurgias eletivas no município devido à falta de medicamentos essenciais para a realização das mesmas. Somente procedimentos de urgência e emergência serão mantidos.

“É um problema de âmbito nacional, já que os fornecedores enfrentam dificuldades para acompanhar o aumento na demanda por conta da pandemia causada pelo coronavírus. O mesmo acontece em várias unidades de saúde de cidades da região”, explicou o secretário municipal de Saúde, Wandilson Bícego.

Para reduzir o fluxo de pessoas dentro do hospital, a Santa Casa também suspenderá as consultas eletivas temporariamente a partir do dia 29 de junho. As pessoas que têm consultas agendadas devem aguardar em casa, pois o Ambulatório Municipal entrará em contato para o reagendamento.

O Ministério Público Federal, por meio da Procuradoria da República em Minas Gerais, divulgou um ofício notificando sobre a situação e explicando que a falta dos insumos é sentida principalmente nos atendimentos das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) — incluindo o processo de entubação de pacientes graves infectados por Covid-19 e que necessitam de analgésicos, sedativos, opioides e relaxantes musculares.

No documento consta, ainda, uma nota do Conselho Regional de Medicina (CRM-MG), que denuncia a redução dos estoques dos fornecedores e, consequentemente, a indisponibilidade dos medicamentos em hospitais públicos e privados do Estado durante o período de pandemia. Em decorrência da falta das substâncias, os profissionais podem ser impedidos de realizar a assistência necessária aos pacientes, ocasionando no aumento de casos de insuficiência respiratória grave e de mortalidade.

(Ascom Prefeitura SSP)