FISIOTERAPIA 24 HORAS

Santa Casa terá assistência de fisioterapia 24h para pacientes internados por COVID-19

Por: João Oliveira | Categoria: Saúde | 05-07-2020 09:08 | 1950
Equipe de fisioterapia da Santa Casa de São Sebastião do Paraíso
Equipe de fisioterapia da Santa Casa de São Sebastião do Paraíso Foto de Divulgação

A Santa Casa de São Sebastião do Paraíso passará a oferecer aos pacientes internados por decorrência do coronavírus, a COVID-19, o tratamento de fisioterapia 24 horas.

A coordenadora da equipe de fisioterapia do Hospital, a fisioterapeuta Cidinha Cerize, há alguns anos reivindica a ampliação dos serviços de fisioterapia na instituição, de modo a acelerar o processo de recuperação de pacientes e evitando complicações dada a falta de mobilidade destes, principalmente aos internados na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Conforme ressalta Cidinha, atualmente a legislação garante 18 horas de tratamento fisioterápico aos pacientes internados nos leitos de UTI, entretanto com o novo protocolo do Hospital, que agora passa a oferecer o tratamento 24 horas. Isso representará um ganho a mais para os pacientes e, principalmente para a sua recuperação. Os protocolos que passam a ser seguidos, conforme conta a fisioterapeuta, tem como referência grandes hospital do país, como o Hospital das Clínicas de São Paulo, o Albert Einstein e o Incor.

"Nós sabemos a gravidade e a complexidade que são os casos de pacientes internados por decorrência da COVID-19, principalmente aqueles em situação mais complicada e que acabam indo para a intubação. Já existem trabalhos que mostram que com a fisioterapia 24 horas, você diminui o tempo de ventilação mecânica do paciente, o tempo de internação na UTI, o tempo de internação hospitalar, diminuição do gasto de oxigênio dentro do Hospital, e das infecções respiratórias. Existe um ganho muito grande", ressalta.

De acordo a coordenadora, o projeto da fisioterapia 24 horas já existe há bastante tempo, todavia os pacientes, que tem a garantia de 18h do tratamento fisioterápico, estavam sendo atendidos até a 1h da madrugada, assim os pacientes que estão em estado mais grave por decorrência da Covid-19, ficavam por cerca de 6h sem o atendimento, apenas com a equipe médica e de enfermagem. "Havia algumas complicações e intercorrências que o fisioterapeuta é o profissional capacitado e habilitado para lidar com a ventilação mecânica junto com a equipe médica intensivista", acrescenta.

Cidinha destaca que antes de tudo isso, o diretor técnico da Santa Casa, o Dr. Luciano Costantini, e a diretora clínica, Dra. Rachel Costantini, acompanhando todo esse trabalho da fisioterapia e os resultados positivos, com respaldo do provedor Fernando Alvarenga, decidiram apoiar o projeto que passaria a oferecer um atendimento de excelência a esses pacientes com o tripé: equipe médica, equipe de enfermagem e equipe de fisioterapia 24 horas a serviço desses pacientes internados.

"Isso melhora muito a assistência do paciente, e todos os nossos protocolos são baseados em instituições renomadas no País. É um padrão dos mais elevados de tudo o que tem sido feito no Brasil, e estamos fazendo dentro da nossa UTI. É um trabalho essencial e o paciente de Covid, quando é internado, está de um jeito e de repente já vai para a intubação, às vezes tem uma parada cardiorrespiratória, então são pacientes muito instáveis que estão na enfermaria e de uma hora para a outra têm uma complicação e precisam ir para a UTI. Essa assistência faz toda a diferença", ressalta.

O paciente em ventilação mecânica, conforme explica a fisioterapeuta, tem um alto risco de mortalidade e, portanto, é preciso de uma monitoração a todo o momento, e a fisioterapia ajuda em muito no processo de recuperação. "Com a presença desse fisioterapeuta 24 horas, você aumenta a sobrevida do paciente, dependendo da complexidade consegue tirá-lo da ventilação mecânica, previne contraturas, deformidades, perda de força e massa muscular".

Cidinha Cerize destaca que a conquista é um trabalho fruto dos esforços de toda a equipe da Santa Casa, desde a direção do Hospital ao corpo clínico da instituição. Cidinha, que está na coordenação do setor de fisioterapia desde 2014, ressalta que é com muita alegria que eles anunciam mais esta conquista para o Hospital de São Sebastião do Paraíso. "Estou irradiando de alegria por tudo isso. Fico feliz de a administração do Hospital reconhecer a importância desse trabalho e nos dá a oportunidade de realizá-lo", completa.