SAÚDE E BEM-ESTAR

Profissionais orientam sobre como manter uma rotina saudável na quarentena

Por: João Oliveira | Categoria: Saúde | 08-07-2020 10:47 | 652
Foto de Reprodução

Durante a quarentena, muitos de nós nos deparamos com diversos relatos de pessoas reclamando sobre ganho de peso, cansaço, indisposição e diversos outros males fruto do isolamento social e da falta de uma vida mais ativa dada a necessidade do “fique em casa” em face da propagação do corona-vírus. Todavia, manter uma boa alimentação e uma atividade regular, podem ajudar muito a manter tanto a saúde do corpo quanto a mental. A reportagem do Jornal do Sudoeste ouviu profissionais da área da saúde que comentaram a importância de uma rotina ativa e, também de uma alimentação saudável para atravessarmos este período em boa forma e com o mínimo possível de danos à saúde.

A nutricionista Michele Cristina Silva, ressalta que com a atual situação que o mundo está passando, tem crescido o número de pessoas em sobrepeso e obesidade. “A cada dia que passa, queixas com as questões de alimentação, bem-estar e insatisfação corporal têm sido comum. Com o isolamento social, uma nova rotina surgiu deixando muitos com medo e incertos do que pode acontecer, de repente tudo muda e a cada dia uma nova informação. Diante de tudo isso, a rotina alimentar também sofreu alterações nos padrões instalados e, consequentemente, o aumento de peso. As queixas de ter aumentado as medidas ou peso tem sido bem mais comuns nesta quarentena”, aponta.

Conforme a especialista, diante da incerteza do futuro, e do tempo que tudo isso vai levar para se normalizar, e que está fora do controle de qualquer um, não resolve ficar preocupado, uma vez que pensar nestas questões só causarão preocupação, angústia e frustração. “Foque no que está em seu controle – usar máscara, álcool em gel, fazer o isolamento social para evitar a contaminação, seguir todas as regras de segurança de saúde, cuidar da saúde mental e do seu corpo”, orienta.

O QUE POSSO FAZER?
Conforme a especialista, o que é necessário no momento é cuidar da alimentação e ter equilíbrio. Mas qual a melhor forma de fazer isso? Segundo explica Michele, é preciso prática, entre elas criar uma rotina, com horários para dormir e acordar, e mesmo que esteja trabalhando em casa é importante para que os horários não fiquem bagunçados com os estudos das crianças, com a alimentação e demais atividades ao longo do dia.

“Ao levantar se hidrate e troque de roupa. Tenho escutado de muitos que estão ficando de pijama o dia todo, isso faz com que nossa mente entenda que está no momento de descanso e relaxamento, por isso troque de roupa. Além de você ter a percepção do seu corpo, do que está acontecendo e se ver de uma maneira mais bonita”, destaca.

Conforme a nutricionista, já se sabe que comer de três em três horas não é mais uma regra padrão, e por isso o recomendado é que se sinta fome para comer. “Porém não aquela fome avassaladora, que faz com que a vontade seja de comer tudo o que se vê pela frente. Respeite sua saciedade. Escolha um lugar tranquilo para fazer suas refeições juntamente com sua família, sem distrações com celular, tv, tablet e eletrônicos em geral. A refeição é um momento único e de prazer, por isso dê valor a este momento e faça de maneira mais tranquila”, orienta.

A especialista orienta ainda o consumo de alimentos naturais, sem o excesso de industrializados. “Descascar mais e desembalar menos, pois alimentos muitos industrializados, de um modo geral, têm um alto teor de aditivos químicos, sódio, açúcares, que com o consumo ao longo prazo e exagerado pode gerar doenças como diabetes, pressão alta, gordura no fígado e tantas outras”.

Outra dica importante, é manter um exercício regular, pelo menos de 15, 20 ou 30 minutos diários. “Isso pode fazer a diferença em sua rotina, pois neste momento há hormônios que são secretados, despertando o bem-estar. O que sugiro é começar aos poucos e sempre ter a constância, pois é muito mais válido alguns minutos de exercícios diários do que horas de exercícios uma ou duas vezes na semana.

Além disso, outra orientação importante é que as pessoas reduzam o consumo de alimentos açucarados ao dia, aproveitem as versões mais naturais e receitas mais saudáveis para suprir a necessidade quando surgir. “Também é preciso ter cuidado com a hidratação. A água é responsável pelo funcionamento correto do nosso organismo, é ela quem transporta nutrientes para nossas células. A ingestão diária adequada são 35ml/ kg de peso corporal. Além de auxiliar na função intestinal também”, acrescenta.

Ainda, conforma a nutricionista, outra dica importante é deixar as refeições mais coloridas, usando variedade de vegetais, frutas e legumes. “Consumindo pelo menos três a cinco cores diferentes de vegetais você contribui para a diversificação de nutrientes, suprindo a demanda de vitaminas e minerais necessários e ainda diferencia seu paladar com alimentos novos! Imagine como você quer estar daqui a cinco ou 10 anos? O que seus hábitos podem contribuir para este futuro? Cuidar da sua saúde não pode ter dia e nem hora. É agora! Comece aos poucos, com constância e evolução sempre”, finaliza.

EXERCÍTE-SE
Conforme também ressalta a educadora física Geovana Bonacini, durante o isolamento social é muito importante manter o corpo ativo para preservar a saúde física e mental. “Existem várias atividades físicas simples para se fazer em casa, como pular corda, corrida estacionada, sentar e levantar do sofá com repetições seguidas, subir e descer escada ou um degrau da casa, exercícios com cabo de vassoura, garrafa pet para simular um halter, exercícios de agachamento, abdominal, flexão de braço entre outros, sempre respeitando os limites do seu corpo”, destaca.

Para tanto, ela reforça que é fundamental contar com a orientação de um educador físico. “Atividades físicas praticadas de forma inadequada podem gerar uma série de problemas. Isso vale para todas as atividades, desde um treino pesado até uma corrida ao ar livre.  É muito importante junto a rotina de exercícios manter uma alimentação saudável e tomar muita água”, reforça.

Para a educadora física e praticante da dança, Gabriella Bonacini de Castro Cardoso, além dos cuidados que precisamos ter com o nosso corpo, é preciso também trabalhar também a nossa mente. “A dança é um exercício de liberdade dos movimentos. Com a prática você conhece seu corpo, seu ritmo, libera hormônios que dão sensação de prazer, melhorando a ansiedade e o estresse. Diante desse novo cenário, nós profissionais da dança também estamos nos reinventando, promovendo lives, videoaulas e aulas online através de aplicativos para podermos levar um pouquinho da nossa energia àqueles que precisam. A minha dica é que cada um tire um tempinho, coloque uma música que curta e se jogue na dança”, aconselha.

MANTENHA-SE ATIVO
A necessidade e manter o corpo em movimento, é também reforçada pelo fisioterapeuta Guilherme Ávila, que assim como ressalta a educara física Gabriela Bonacini, em meio a uma nova situação, como a pandemia, é necessário nos reinventar. “Manter a mente sã e o corpo são, não é uma tarefa fácil nos dias de hoje, e pra quem sempre foi sedentário é ainda mais penoso. O interessante é manter o corpo sempre ativo para evitarmos dores e possíveis problemas causados pela inatividade, dá pra se exercitar independente do seu espaço”, diz.

Para pessoas com pouco espaço em sua residência, pode-se realizar atividades como a dança, exercícios com pesos (como sacos de alimentos, baldes, usando o peso do próprio corpo e etc.), caminhadas curtas, de um cômodo a outro e alongamentos em geral. “Já pessoas que possuem um espaço maior, além destes mesmos exercícios citados acima, podem-se fazer circuitos com obstáculos a serem passados, basta usar a criatividade”, aponta.

Todavia, o fisioterapeuta lembra que é importante observar se aparecem dores ou algum desconforto, se sim, é preciso procurar algum profissional habilitado para orientação. “Há ainda as opções de vídeos postados a exaustão na internet, com várias possibilidades de exercícios, também com bastante atenção para a habilitação do profissional. Existem alternativas para todas as pessoas, independente das limitações. O momento não é fácil de lidar, mas sempre podemos nos transformar e utilizar da adversidade para criarmos novos hábitos e costumes para nossa vida futura. Vai passar”, completa.