COOPERATIVAS

Melles afirma que as cooperativas de crédito são alternativas para as MPE

Por: Redação | Categoria: Brasil | 24-07-2020 09:07 | 335
Segundo presidente do Sebrae, volume de ações de crédito alcançado por Sicoob e Sicredi coloca o sistema de cooperativas à frente de instituições financeiras públicas e privadas
Segundo presidente do Sebrae, volume de ações de crédito alcançado por Sicoob e Sicredi coloca o sistema de cooperativas à frente de instituições financeiras públicas e privadas Foto de Divulgação

A busca por crédito tem sido um dos principais entraves para os pequenos negócios, desde o início da pandemia do novo coronavírus. Diversos estudos realizados pelo Sebrae mostram que esse é o maior obstáculo enfrentado pelos empreendedores que buscam manter o equilíbrio financeiro de suas micro e pequenas empresas.

A última pesquisa feita pela instituição apontou que 57% dos pequenos negócios que tentaram conseguir empréstimo não tiveram sucesso; outros 25% ainda aguardavam resposta e apenas 18% tiveram o pedido atendido. Na contramão desse cenário, as cooperativas de crédito têm se revelado uma alternativa para obtenção dos recursos tão necessários à manutenção das MPE.

Ao analisar a taxa de sucesso dos pedidos de empréstimos, o Sebrae identificou que cooperativas como Sicoob e o Sicredi despontam na frente de instituições financeiras públicas e privadas, tais como Caixa, Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander. O Sicoob apresenta taxa de sucesso de 20%, seguido pelo Sicredi com 17% de aprovações.

De acordo com dados obtidos junto ao Sistema Sicredi, no período de janeiro a maio deste ano, a concessão de crédito para os pequenos negócios foi de R$ 2,7 bilhões, representando um aumento de 21,3% em relação ao mesmo período de 2019. Já no Sistema Sicoob houve um aumento de 27,7% na quantidade total de operações de crédito para o segmento. Somente na carteira de empréstimo e financiamento, o aumento no volume de concessão no Sicoob foi de 71,7%, atingindo o volume de R$ 6,6 bilhões de janeiro a maio de 2020, frente aos R$ 3,8 bilhões no mesmo período de 2019.

Uma das possíveis justificativas para a maior facilidade na obtenção de créditos nas cooperativas pode estar na natureza jurídica dessas instituições. Diferentemente dos bancos tradicionais, focados no lucro, as cooperativas têm como objetivo geração de valor para todos os cooperados. Se a cooperativa for do tipo livre admissão, qualquer pessoa física ou jurídica pode fazer um pedido para compor o quadro de associados.

Além disso, as cooperativas oferecem toda a segurança nos processos, que seguem as normas do Banco Central e ofertam burocracia reduzida e juros menores que o mercado comum.

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, corrobora o protagonismo das cooperativas na concessão de crédito para as micro e pequenas empresas. “Diante dos prejuízos causados pela pandemia da Covid-19 à economia brasileira, o cooperativismo vem demonstrando que cumpre um papel vital de sustentação das micro e pequenas empresas. São 857 cooperativas e mais de 6.000 pontos de atendimento em todo o país, contribuindo de maneira significativa para a retenção de renda nos municípios e para o desenvolvimento das comunidades locais. Com seu espírito de solidariedade, servem de exemplo a ser seguido por todo o sistema financeiro nacional, público e privado”, disse.

Melles destaca ainda que o suporte às cooperativas faz parte da agenda de trabalho do Sebrae. “Em 2003, foi instituído o Programa Sebrae de Apoio ao Cooperativismo de Crédito, que atualmente está em seu quarto ciclo de apoio ao segmento. De 2008 até agora, o balanço soma 22 estados contemplados e cerca de 400 cooperativas participantes. Foi prestado atendimento com soluções de capacitação e consultoria a mais de 5 mil empresas cooperadas. As ações contribuíram para a adesão de mais de 220 mil novos pequenos negócios e o incremento acima de R$ 8 bilhões no saldo da carteira de crédito”, ressalta o presidente.