SICREDI

Mulheres do agronegócio destacam a força da cooperação no desenvolvimento rural

Por: Redação | Categoria: Cidades | 15-08-2020 08:39 | 848
Foto de Reprodução

Com origem no campo, a Sicredi das Culturas RS/MG foi criada em 1925 para dar condições aos pequenos produtores, para que pudessem seguir em sua atividade rural. Hoje, com a evolução dos serviços e das linhas de crédito, a instituição financeira cooperativa consegue não apenas manter estas condições, mas também oportunizar o crescimento e desenvolvimento do setor agrícola, possibilitando melhorias nas estruturas de trabalho e na qualidade de vida de agricultores e agricultoras. “Ficamos muito felizes em poder apoiar a atividade rural nas suas diversas necessidades e nas diferentes culturas, através de soluções financeiras adequadas ao momento de vida de cada um. E neste contexto do trabalho rural, destacamos e reconhecemos a relevância da atuação feminina. Mulheres fortes, que seja em casa, na lavoura, na horta ou trabalhando com gado, atuam dia a dia para o crescimento e evolução da agricultura nesta região e no nosso país”, destaca a gerente da agência do Sicredi em São Sebastião do Paraíso, Patrícia Cristina Prante Machado.

Para a gerente de Negócios Agro, Gabriele Pessoni Pimenta, “como mulher e sendo uma colaboradora de uma intuição financeira cooperativa que valoriza o trabalho da força feminina, fico muito feliz em saber que muitas outras estão atuando neste ramo. Todas elas sendo mães, esposas e grande profissionais, desempenhando um importante papel e complementando toda a força do agronegócio brasileiro”.

Uma destas mulheres é associada da cooperativa, Aparecida Reis Nunes de Sá, que reforça: “infelizmente o serviço rural não é muito valorizado no nosso tempo, mas eu sou profundamente feliz e realizada por fazer parte das pessoas que ainda acreditam no campo. O papel da mulher é muito importante nesse contexto, não porque somos melhores que os homens, mas porque quando um homem e uma mulher pensam juntos, sonham juntos, se organizam juntos, planejam juntos, é possível uma visão mais ampla. Se abrem portas que antes não se abririam. Quando a família trabalha unida em prol de um sonho esse sonho se realiza, e quando encontramos parceiros como o Sicredi conseguimos ir mais longe ainda”.

Apoio para a agricultura familiar
A associada atua no cultivo de fruticultura Sítio Recanto do Beija-flor e faz parte da agricultura familiar há 25 anos ao lado do esposo, Vanderlei. “Na nossa família sempre prezamos por viver em unidade, acolher os sonhos uns dos outros e juntos realizá-los. No trabalho não foi diferente, desde o início do casamento eu assumi junto com o Vanderlei todas as dificuldades, as inseguranças, a falta de incentivo que a agricultura familiar vivenciava principalmente naquele momento, há mais de duas décadas. Mas também sonhamos juntos, fizemos o nosso melhor, buscamos sempre trabalhar com honestidade, e pela graça de Deus fomos conquistando todos os nossos sonhos, passo por passo, vitória por vitória, tivemos muitos parceiros pelo caminho”, conta a agricultora, reforçando ainda sobre o papel que a cooperativa vem desempenhando em sua produção, “recentemente o Sicredi entrou na nossa vida e somos muito gratos, pois representam uma acolhida do produtor rural na sua realidade, eles te trazem possibilidades, facilidades. Aquilo que muitas vezes parecia algo possível só para grandes fazendeiros, tecnologias que pareciam muito distantes, eles nos ajudam a conseguir e nos motivam a ir além das nossas expectativas. Eles nos mostraram que não é por que fazemos parte da agricultura familiar que precisamos pensar pequeno e realizar pequeno”.

Investimento e agilidade

Para a pecuarista e cafeicultora da Fazenda Rancho Alegre, Fernanda Serrano de Oliveira Marcolini, “trabalhar com o Sicredi é uma maneira de se obter crédito justo para tocar nosso negócio”, destacando ainda a importância do capital de giro quando se trabalha com diversas atividades: “O investimento em gado nos permitiu ter esse giro rápido na propriedade. Somos muito agradecidos ao Sicredi por acreditar e investir no profissional agrícola que faz nosso Brasil produzir”, ressalta a associada. Em sua propriedade, o destaque é a produção cafeeira, junto da pecuária de corte, entre outras atividades.

A agricultora Maria do Carmo Soares de Souza define o Sicredi como “uma cooperativa que não tem aquela burocracia que você acaba desistindo do seu sonho. Só tenho a agradecer a todos que contribuíram para um dia pudéssemos conhecer seu trabalho”. A associada cultiva hortaliças no Sítio Novo Horizonte e realiza a venda de sua produção na Feira Municipal. “Hoje o Sicredi está somando e auxiliando muitas pessoas a realizarem seus sonhos no município, agilizando os nossos negócios e tornando o nosso dia a dia mais fácil”, reforça.

Para a cafeicultora Maria Neuza de Carvalho Marques, da Fazenda Barra, “o Sicredi apoia as mulheres que estão trazendo diversidade para a produção cafeeira, sempre almejando a melhor qualidade possível. Sabemos que o caminho para produção de café se trata de uma luta longa e árdua, que é enfrentada diariamente e com altos custos financeiros. E é nesse aspecto econômico que o Sicredi atua, fornecendo apoio nos custeios e investimentos, de maneira rápida, eficiente e sem burocracia”. A agricultora conta que sua história com o café iniciou ao se casar com Paulo Marques. Ela não veio de uma região cafeeira, mas chegando em São Sebastião do Paraíso se encantou pela cultura. “O Sicredi apostou em nós. Isso se deu por meio do reconhecimento de nosso trabalho e determinação, sempre acreditando em nosso potencial”, finaliza.

Em agosto, a Sicredi das Culturas RS/MG completa oito meses de atuação em São Sebastião do Paraíso. A agência da instituição financeira cooperativa está localizada na Rua Pimenta de Pádua, número 1464. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (35) 3539 7600 ou pelo WhatsApp (51) 3358 4770.
Raíza Goi Borba

Aparecida Reis Nunes de Sá e esposo Vanderlei
Associada Fernanda Serrano de Oliveira Marcolini
Associada Maria do Carmo Soares de Souza
Associada Maria Neuza  de Carvalho Marques