RESPIRADORES

FIEMG doa aparelhos respiradores para Santa Casa de Misericórdia

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Saúde | 31-08-2020 10:44 | 466
Aparelhos respiradores estão sendo entregues nos hospitais de várias cidades de Minas Gerais
Aparelhos respiradores estão sendo entregues nos hospitais de várias cidades de Minas Gerais Foto de Reprodução

A Santa Casa de Misericórdia de São Sebastião do Paraíso foi um dos 20 hospitais da região contemplados com aparelhos respiradores, doados pela  Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), que ajudarão no tratamento da Covid-19. A Fiemg comprou 1.600 equipamentos, construídos totalmente com tecnologia da Indústria mineira e doou os aparelhos a Secretaria Estadual de Saúde, que está fazendo a distribuição aos hospitais públicos de Minas.

O equipamento foi idealizado e é produzido pela Inspirar, uma empresa Health Tech que nasceu da inquietação e percepção dos sócios da Tacom para minimizar os impactos no sistema de saúde gerados pela pandemia da Covid-19. A Fiemg ofereceu suporte e mobilizou a indústria e arrecadou recursos para viabilizar o projeto. Na quarta-feira,26, a entidade já havia feito a doação de outros ventiladores pulmonares ao governo federal.

Somente na Santa Casa de Paraíso, foram destinados cinco equipamentos respiradores. Na região foram contemplados com ventiladores os hospitais de Varginha, Itajubá, São Lourenço, Lavras, Andradas, Poços de Caldas, Santa Rita do Sapucaí, Três Corações, Alfenas, Cambuí, Passos e Pouso Alegre.

No final de maio deste ano a Unidade Monsenhor Mancini, da FIEMG em São Sebastião do Paraíso já havia feito a entrega à Santa Casa de Misericórdia de 500 máscaras semi-facial e 500 litros de álcool 70.

Outra ação da Federação das Indústrias em Minas Gerais foi a aquisição de 300 mil testes rápidos destinados para a realização de amostragem em massa entre os profissionais da indústria. O objetivo da medida, segundo o presidente da Fiemg, Flávio Roscoe,  foi o de auxiliar o setor industrial para que as empresas possam voltar a operar, entretanto, sem colocar em risco a saúde de seus trabalhadores. O serviço foi ofertado ao trabalhador cadastrado pelas indústrias associadas pelo preço acessível, sendo disponibilizado a R$99,00.