SETEMBRO AMARELO

Hospital Gedor Silveira abraça campanha de valorização à vida

Primeira live será transmitida nesta quarta-feira (2/9), às 19h, com o tema "prevenção do suicídio: é preciso falar, é possível salvar vida"
Por: João Oliveira | Categoria: Saúde | 02-09-2020 10:07 | 507
Hospital Gedor Silveira grava vídeos sobre prevenção ao suicídio para campanha nas redes sociais
Hospital Gedor Silveira grava vídeos sobre prevenção ao suicídio para campanha nas redes sociais Foto de FOTOCENTER

O Hospital Gedor Silveira, tendo em vista o Setembro Amarelo, mês em que se discute a valorização à vida diante dos crescentes números de suicídio no Brasil e no mundo, está programando uma série lives abordando temas que envolvem a promoção da saúde mental. Serão cinco lives, transmitidas pelo Youtube, Instagram e Facebook, e intermediadas pela jornalista Susana Souza que destaca a importância do envolvimento de toda a sociedade no combate ao suicídio.

"Nós aderimos a campanha nacional desenvolvida pela Associação Brasileira de Psiquiatria, que todos anos faz uma ampla divulgação sobre a prevenção ao suicídio, mesmo porque esta é considerada uma emergência de saúde e nós, como promotores de saúde mental, responsável por 153 cidades do Sul de Minas, e que abarca quatro regionais de Saúde representando uma população de cerca de 2,5 milhões de pessoas, não poderíamos ficar de fora", ressalta a assessora de comunicação da Instituição, Susana Souza.

A jornalista lembra que a questão do suicídio ainda é vista como tabu, não sendo muito discutido o tema, assim como pouco divulgado os casos de óbitos em decorrência do suicídio. "Nós sabemos a gravidade disto e é uma situação que é possível prevenir. A prevenção é o melhor caminho para combater o suicídio: escutar a dor do outro, ser solidário, mas ter consciência, principalmente, que é um caso de intervenção médica e é preciso procurar um profissional", destaca.

Todavia, conforme aponta Susana, há ainda aqueles que têm resistência em obter ajuda médica, mas é preciso que haja intervenção e a prevenção ainda é um dos melhores caminhos. "Dentro dessa campanha nacional, o Setembro Amarelo, o Hospital Gedor Silveira organizou cinco lives com profissionais renomados que abordarão as mais diversas situações em que podem ser identificados os sinais para a prevenção", ressalta.

Para as lives profissionais de diferentes áreas serão convidados a dar sua contribuições nas discussões sobre a temática de valorização à vida. Entre elas, Susana destaca o tema sobre as questões que cercam a infância para que se possa criar adultos felizes, mais empáticos e que sabem lidar com as frustrações da vida. "Hoje notamos que a permissividade de alguns pais e a falta de limites, faz com que o adolescente não saiba lidar com a frustração. Há estudos que apontam que os índices de suicídio aumentaram muito entre os jovens e população idosa, principalmente agora com a pandemia", destaca.

ABERTURA
A primeira live, que terá início nesta quarta-feira (2/9), às 19h, e trará o tema "prevenção do suicídio: é preciso falar, é possível salvar vida", trarão os profissionais a doutora do departamento de Enfermagem da USP, em Ribeirão Preto, Kelly Graziani Giacchero Vedana; o superintendente Geral da Santa Casa de Misericórdia de Passos, Daniel Soares e a psicóloga do Hospital Gedor Silveira, Márcia Fernandes.

Dando sequência a série, no próximo dia 9 de setembro, será abordado o tema "Qual o sentido da vida?"; para o próximo dia 16, o tema "Emergência médica: rede de apoio a prevenção ao suicídio"; no dia 23 será discutido  "Prevenção ao suicídio em grupos vulneráveis" e, encerrando as lives, o tema "O que é felicidade".

SETEMBRO AMARELO
A Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), promove a campanha Setembro Amarelo desde 2014. No próximo dia 10 de setembro é lembrado como o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, todavia a campanha acontece durante todo o ano.

De acordo com dados divulgados pela ABP, são registrados cerca de 12 mil suicídios todos os anos no Brasil e mais de um milhão no mundo, número que crescem a cada ano, principalmente entre os jovens. Conforme a ABP, cerca de 96,8% dos casos de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais, entre estes o principal está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias.