COPASA

Copasa produz 16 milhões de litros de água por dia e descarta racionamento

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Cidades | 12-09-2020 09:06 | 319
Em virtude da estiagem no município empresa anunciou ter ampliado a captação no córrego Santana, principal fornecedor de água para o abastecimento da cidade
Em virtude da estiagem no município empresa anunciou ter ampliado a captação no córrego Santana, principal fornecedor de água para o abastecimento da cidade Foto de Divulgação/Copasa

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa/MG) confirmou nesta sexta-feira,11, ao Jornal do Sudoeste que neste momento São Sebastião do Paraíso não corre risco de desabastecimento de água. Apesar da intensa estiagem que já se aproxima dos 100 dias a empresa informa que foi preciso ampliar o volume de captação no Córrego Santana, o que permitiu que a produção na Estação de Tratamento de Água (ETA) siga mantida em 16 milhões de litros por dia. Ainda assim a recomendação é para que a população evite desperdício com o uso racional, sendo seguidas algumas recomendações.

Em resposta a solicitação de informações feitas pela reportagem junto ao diretor da Copasa, Sérgio Luiz Rezende, as questões foram respondidas através da Assessoria de Imprensa da empresa. A primeira informação é de que apesar da seca intensa não há nenhuma anormalidade no serviço de abastecimento de água da cidade, esclarece o comunicado. "A Copasa informa que, nesta sexta-feira (11/09), o abastecimento de água em São Sebastião do Paraíso encontra-se normalizado e não há previsão de rodízio na cidade", anuncia.

Na sequência a resposta refere-se à situação de como encontram-se os reservatórios e as condições dos mananciais que abastecem a cidade. Normalmente nesta época do ano quando as chuvas se tornam mais escassas ocorre redução do volume de água produzido em dois dos três mananciais utilizados para a captação e abastecimento da população. Para atender o município, a empresa realiza captação em três mananciais sendo o Ribeirão Santana, que é a principal fonte de captação, além dos córregos Pilões e Liso, que são considerados como auxiliares. 

De acordo com a Copasa, com a estiagem prolongada, houve queda no volume de captação dos córregos Pilões e Liso. "Porém, essa diminuição foi compensada pelo aumento do volume captado no Ribeirão Santana, o que permite manter a produção na Estação de Tratamento de Água em aproximadamente 16 milhões de litros por dia", anuncia a assessoria. Após a captação a água é bombeada até a ETA onde é feito o tratamento, armazenamento em grandes reservatórios espalhados pela cidade e distribuição nas redes residenciais.

A Copasa descarta neste momento a possibilidade de rodízio no abastecimento, mas defende o consumo racional apelando para que a população evite desperdícios. "Embora o rodízio não esteja previsto em São Sebastião do Paraíso, o uso consciente da água é necessário. Atitudes simples, como deixar a torneira fechada enquanto escova os dentes ou faz a barba; tomar banhos rápidos; molhar plantas com regador; lavar o carro com balde; reutilizar a água da máquina de lavar roupas e não lavar o passeio fazem muita diferença", é a recomendação.

A empresa esclarece ainda que trabalha continuamente para disponibilizar água tratada em todos os municípios onde a empresa opera. Neste momento de prevenção ao Coronavírus (Covid-19), a Copasa reitera seu compromisso em fornecer água de qualidade à população e recomenda: "consumir sem desperdiçar é preservar o acesso à água a todos", finaliza.