POLEPOSITION

Mundo doido que é a F1

Por: Sérgio Magalhães | Categoria: Esporte | 13-09-2020 07:57 | 220
Primeiro GP em Mugello para celebrar a milésima corrida da Ferrari na F1
Primeiro GP em Mugello para celebrar a milésima corrida da Ferrari na F1 Foto de F1 / Divulgação

A semana que fecha a terceira série de três corridas seguidas rendeu bons assuntos na F1 que está em Mugello para o GP da Toscana. Para quem não acompanha a categoria com frequência pode achar estranho esta corrida e ela só está acontecendo por conta da pandemia do coronavírus que obrigou a F1 reorganizar o calendário juntando tudo o que era possível para realizar a maioria das corridas na Europa.

E caprichosamente ela foi inserida na sequência ao GP da Itália para que a Ferrari pudesse comemorar em casa o seu milésimo GP na F1.

Mugello é de propriedade da Ferrari que recebe a categoria pela primeira vez. A pista de 5.245 metros possui um traçado veloz que exige muito do preparo físico dos pilotos e um asfalto que judia dos pneus. E para complicar, a previsão aponta temperaturas altas no treino e na corrida. A Pirelli disponibilizou os compostos mais duros de sua gama de pneus, os C1 (duro), C2 (médio) e C3 (macio). 

E uma das novidades desta prova que por si só já é uma novidade, é a presença de público pela primeira vez na temporada, com cerca de 3 mil ingressos colocados a venda. É um número insignificante em se tratando de F1, mas que não deixa de ser um alento nesses tempos de pandemia em que o distanciamento social ainda se faz necessário. Pena que a anfitriã da festa vive um dos piores momentos de sua história, o que não apaga o significado de ser a única equipe que participou até aqui de todas as temporadas da F1, ainda que não tenha disputado apenas 26 dos 1026 GPs que a F1 realizou desde 1950. 

O modelo SF1000 é um dos piores carros já produzidos pela Ferrari e que foi batizado com esta nomenclatura para celebrar a temporada histórica, mas não vai deixar saudade. A Ferrari amarga a sexta posição no campeonato de construtores com apenas 61 pontos. A líder, Mercedes, soma 281. Mesmo assim os carros de Vettel e Leclerc ganharam neste fim de semana um tom retrô do vermelho que remete a cor usada pela equipe no seu primeiro ano de F1.

Por ironia, quem está roubando a cena em Mugello é justamente Sebastian Vettel que foi avisado por telefone antes do início do campeonato que estava fora dos planos da equipe para 2021. O alemão que cumpre seus últimos compromissos com a escuderia italiana, será piloto da Aston Martin - hoje Racing Point - na próxima temporada.

A chegada de Vettel ao novo projeto da equipe inglesa custou a vaga de Sergio Pérez que teve papel importante pela sobrevivência da Racing Point quando ainda se chamava Force India. E assim como Vettel, o mexicano revelou que também foi informado por telefone que não fará parte da equipe no ano que vem, “coisas desse mundo doido que é a F1”, disse Pérez. 

Esses são apenas alguns dos inúmeros casos de como a F1 nem sempre é justa com todos. Que o diga Pierre Gasly, que venceu o GP da Itália no último domingo, em Monza. O jovem francês de 24 anos viveu uma montanha russa de emoções nos últimos 18 meses entre ser piloto da Red Bull, rebaixado para a Toro Rosso - hoje Alpha Tauri - na metade da temporada passada, e na corrida que precisou recomeçar a carreira, sofreu o baque com a perda do melhor amigo num brutal acidente na corrida de F2, preliminar do GP da Bélgica. 

Gasly foi mentalmente forte para superar os problemas e ainda no ano passado foi 2º em Interlagos levantando as arquibancadas numa disputa roda a roda em que segurou Lewis Hamilton na linha de chegada. 

A vitória em Monza, ainda que facilitada pelo raro erro duplo de Hamilton e da Mercedes, foi um tapa com luva de pelica em Helmut Marko, o homem forte da Red Bull que o rebaixou para a Alpha Tauri, e que saiu de Monza pela tangente, evitando responder o óbvio para a imprensa. E assim quebrou-se o longo jejum de 24 anos que a França não ouvia a Marselhesa ser tocada no pódio da F1.

 

Quem avisa amigo é!

Quer uma boa dica para depois da F1? Mude de canal e assista a rodada dupla da etapa de Londrina da Stock Car, ao vivo às 12h30, no SporTV. Novos carros e a disputa equilibrada de sempre.