CORONAVÍRUS

Curado da Covid-19, paraisense alerta para a gravidade da doença

"A Covid mata e eu vi pessoas morrerem por causa dessa doença"
Por: João Oliveira | Categoria: Saúde | 22-12-2020 09:32 | 2096
Foto de Arquivo

Diagnosticado com a Co-vid-19 em meados de novembro, Antônio Inácio Ferreira Neto, de 61 anos, não imaginou que a doença pudesse ser tão grave e o acometesse de maneira tão súbita tal como ocorreu. Neto chegou a ficar internado 21 dias, 12 deles na UTI, onde viu pessoas próximas perderem suas vidas e ele temeu perder a sua. Todavia, graças a atenção que recebeu, e o carinho da equipe da Santa Casa, ele conseguiu se recuperar para contar sua história e agradecer a toda atenção que lhe foi dispensada durante sua estada no Hospital.

"Como todo brasileiro, a gente descuida da Covid, e aconteceu. Mesmo tomando os devidos cuidados, acabei sendo diagnosticado. Queria deixar um alerta da gravidade que é essa doença, e o momento que vivemos é muito perigoso. Uma das formas de superarmos essa pandemia, é aprendermos a pensar no outro, porque se eu pegar, vou transmitir, não tem saída, enquanto não nos conscientizarmos, não conseguiremos atravessar esse momento", ressalta.

Neto conta que foi diagnosticado com a Covid em meados de setembro, e descobriu por acaso, uma vez que não apresentou sintomas e, diante de um desconforto e um resfriado que acabou pegando, resolveu fazer o teste por curiosidade, em Franca. "O resultado deu positivo, fui internado por sete dias, e liberado. Fui alertado sobre o oitavo dia ser perigoso. Nesse dia, tive uma febre muito forte e decaí de uma hora para outra. Fui internado na UTI e por muito pouco não precisei ser entubado", recorda.

Todavia, após sua alta hospitalar, ele destacou a forma como foi tratado durante todo o tempo que esteve internado. "Temos em Paraíso um sistema maravilhoso de Saúde. Toda a equipe Covid da Santa Casa, tanto da UTI como da Enfermaria, que trabalho maravilhoso eles fazem! São pessoas extremamente profissionais e amorosas, preocupadas com nossa saúde e nosso bem estar. Esse profissionalismo foi primordial para minha recuperação, e mais do que isto, o amor que eles empregam nesse trabalho. Isso é primordial para que nos recuperemos".

Entre esses profissionais, ele destaca o trabalho de toda a equipe da Ala Vanderlei, onde hoje são atendidos os pacientes diagnosticados com a Covid-19. Destaca também o trabalho da equipe de enfermagem, entre eles Enilay, Rose, Rafael e Antônio Bonifacio; da equipe de fisioterapia, Michael, Bruna Leão, Flávia, Rudson, Franciane e Daiane; os técnicos de enfermagem: Letícia Emilio, Luiza, Talita, Simone, Eliana, Fernanda, Willian, Lilian, Franklin, Rose, Fabia-na, Karen, Ayla, Poliana, Gleison, Gislaine, Estefani, Gabriela e Karina; e aos médicos, o dr. Luciano, Dr. Ewerton, Dra. Larissa, Dra. Paul e Dra. Tayna.