DENGUE

Vigilância em Saúde pede apoio da população no combate ao mosquito transmissor

Por: João Oliveira | Categoria: Cidades | 30-12-2020 00:31 | 145
Foto de Reprodução

Com as chuvas mais frequentes, e o sol entre um temporal e outro, o clima passa a ser perfeito para o aumento do vetor da dengue e, consequentemente, o aumento de casos da doença no município. A preocupação torna-se ainda maior tendo em vista a pandemia da Covid-19 e, com isto, é imprescindível o apoio da população na eliminação dos focos do Aedes Aegypt.

De acordo com a coordenadora da Vigilância em Saúde de São Sebastião do Paraíso, Daniela Cortez, o momento requer muito apoio e atenção da população, já que é comum neste período do ano se registrar aumento dos casos de dengue, e com a atual situação imposta pela pandemia da Covid-19, a situação fica ainda mais séria.

“Esta época é a que tem o aumento dos casos, e neste ano, em especial, não conseguimos fazer nosso trabalho junto a população porque não podíamos entrar nas residências, principalmente quando tinha algum morador que faz parte do grupo de risco. Estamos dependendo muito mais do que já dependíamos da comunidade para o enfrentamento da dengue neste verão”, destaca.

Daniela ressalta que o apoio da população requer ações simples, entre elas limpeza dos quintais e remoção de materiais que possam acumular água, a limpeza dos terrenos para àqueles que são proprietários, verificar sempre se há água parada já que o momento é propício para a proliferação do mosquito e já percebemos um aumento dos vetores que transmitem a doença e, consequentemente, a doença chegando. “Nesse momento, o apoio da população é fundamental”, completa.

Atualmente, já foram notificados em São Sebastião do Paraíso 372 casos suspeitos de dengue, dos quais 116 deram resultado negativo e 105 foram confirmados, há ainda 17 casos descartados. Também foram notificados dois casos suspeito de zika vírus, mas que também foram descartados. Neste ano, o município chegou a registrar ao menos três casos de dengue grave, ou seja, casos mais sérios da doença que podem levar o paciente a óbito.