COVID-19

COVID: Marcelo promete cassar alvarás e até BO para quem descumprir recomendações

Prefeito afirmou que não irá fechar comércio em Paraíso
Por: Nelson de Paula Duarte | Categoria: Cidades | 05-01-2021 09:15 | 4573
 prefeito Marcelo Morais e Daniel Tales
prefeito Marcelo Morais e Daniel Tales Foto de Print Vídeo rede sociais

O comércio não será fechado por conta do Covid-19 em São Sebastião do Paraíso, mas as medidas de combate ao vírus serão intensificadas, inclusive com a possível cassação de alvarás, lavratura de boletins de ocorrência para quem não está cumprindo o isolamento domiciliar. Esta foi a tônica do pronunciamento do prefeito Marcelo Morais e Daniel Tales no início da noite desta segunda (4/1).

O boletim diário sobre a situação do Covid-19 no município não foi divulgado nesta segunda, de acordo com o prefeito, porque foram encontradas divergências. "A notificação não vinha sendo feita de forma correta".

Marcelo disse que foram identificados casos de pessoas que foram notificadas com o vírus e deveriam estar cumprindo isolamento em suas residências. No entanto, quando enfermeiros vão fazer o acompanhamento, nãos as encontram em casa.

Mencionaram ainda lhes ter chegado informações que há empresas "forçando a situação, pois não aceitam atestados médicos e exigem que funcionários retornem ao trabalho antes de 10 dias, conforme recomendação médica. Se estiverem com o vírus infelizmente irão contagiar outras pessoas", observa.

Doutor Daniel lembra que aos primeiros sintomas a pessoa deve procurar por atendimento médico, e que haverá teste rápido disponível para atender aos casos suspeitos. "A partir de agora vamos agir logo no começo, em vez de esperar que os casos se agravem, como vinha sendo feito", complementou o prefeito.

Marcelo explicou que medidas enérgicas serão tomadas contra estabelecimentos que permitirem a entrada de pessoas sem o uso de máscaras, e não disponibilizarem álcool gel. "Iremos de imediato cassar o alvará", disse.

O prefeito afirmou que adotará medidas enérgicas contra planos de saúde e farmácias que venham atender e identifiquem portadores de Covid-19 e não notifiquem a Secretaria Municipal de Saúde. O alvará será cassado, enfatizou.

Em relação àqueles que devem cumprir isolamento domiciliar e não for encontrados, Marcelo citou que essa prática, de acordo com o Artigo 131 do Código Penal, é crime, e será registrado boletim de ocorrência. A pena prevista é de um a qua anos de reclusão.

O vice-prefeito, como médico, deu explicação técnica sobre períodos a serem levados em conta para serem feitos testes, de isolamento, para portador da Covid-19 e familiares, bem como fase que pode ocorrer contaminação.

Explicou que hoje o protocolo da Saúde estabelece que seja feito o exame de swab entre o terceiro e sétimo dia após identificados os primeiros sintomas suspeitos da Covid-19. O teste é o mais indicado e detecta com mais precisão a presença do vírus no organismo. De acordo com ele, após o surgimento dos sintomas suspeitos e a testagem, o suspeito tem que ficar 10 dias em isolamento domiciliar e os familiares até o 14º dia, tendo em vista a janela imunológica.

“A pessoa que apresentou os primeiros sintomas, tem mais quatro dias para poder transmitir a doença para aqueles que estão no mesmo convívio, tanto no ambiente familiar quanto no trabalho. Ou seja, são 10 dias para quem apresentou sintomas suspeitos e 14 para familiares”, acrescentou.