DIVERGÊNCIA

Houve divergência no que era divulgado, diz prefeito sobre número de leitos na Sta.Casa

Por: Nelson de Paula Duarte | Categoria: Cidades | 08-01-2021 08:49 | 2650
Foto de print vídeo rede sociais

O sistema de saúde do município está prestes a entrar em colapso. Este ponto de vista foi compartilhado pelo prefeito Marcelo Morais e o vice prefeito, médico Daniel Tales , após reunião conjunta na manhã de ontem (7/1) quando também esteve presente a secretária de Saúde, Adelma Lúcia, com diretores da Santa Casa e de planos de saúde no município. No entanto,  números de leitos disponíveis foram mencionados  no início da noite,  em live do prefeito em rede social.

Números apresentados nos últimos dias mostram o crescimento de pessoas contaminadas pela Covid-19 no município, e a ocupação de leitos na Santa Casa. O prefeito opina que Paraíso enfrenta agora os reflexos das festas de fim de ano. “Precisamos apertar o cerco para que a doença não continue avançando no município”, salientou.

As informações que vamos prestar são para “total transparência dos fatos”, disse Marcelo Morais em sua live, antes da divulgação do boletim epidemiológico que passou a ter novo formato, detalhando em um gráfico, locais em Paraíso onde está havendo a incidência de pessoas acometidas pela Covid, dentre outras informações.

O prefeito estava acompanhado pelo vice, Daniel Tales que também fez considerações sobre o crescimento do número de casos no município e medidas adotadas para o enfrentamento. “Em momento algum está faltando planejamento em relação ao combate ao vírus, mas precisamos fazer uma organização no sistema. Constatamos do que está pactuado a Santa Casa tem condição de se organizar e aumentar o número de leitos, mas houve divergência no que vinha sendo divulgado”, disse.

Segundo o prefeito, falava-se em 20 leitos disponíveis na UTI- Covid, quando na realidade são 18, dos quais 12 ontem (7/1) estavam ocupados. Em relação à enfermaria Covid anunciava-se 47 leitos, quando são 38, sendo que 24 estavam ocupados e restavam 14 vagas. “Para vocês estenderem na UTI havia seis vagas para a microrregião atendida pela Santa Casa, várias cidades”, salientou.

Ele salientou que a mudança em levar a informação é para a população leve em conta a necessidade de cuidados para se evitar contaminações. “O vereador Serginho nos sugeriu providenciar  um hospital de campanha, mas temos o ambulatório que está preparado para receber pacientes e fazer os primeiros atendimentos”.

Segundo o prefeito, um decreto será publicado nesta sexta-feira, e está sendo discutido com um “novo comitê é condicionalmente a gente conseguir desenvolver ações para que pacientes comecem a ser tratados ao apresentarem os primeiros sintomas”.

Quero dizer que não perdemos o controle da situação. Estamos monitorando os casos mais graves e os encaminhando para a Santa Casa, porém “já está sendo desenhado para ser feito tratamento na UPA”, disse Marcelo ao enfatizar: “Estamos preocupados porque existem poucas vagas, sendo seis na UTI e 14 na enfermaria para atender toda a região”, afirmou.

Marcelo disse que a reunião na manhã de ontem com “o pessoal da Santa Casa e planos de saúde foi muito produtiva”.