MINA D`ÁGUA

Usuários de mina d’água reclamam sobre barraco levantado nas proximidades

Por: Sebastião Tadeu Ribeiro | Categoria: Cidades | 13-02-2021 08:40 | 2641
Sem teto mora precariamente num barraco montado de  lona plástica bem ao lado da mina D
Sem teto mora precariamente num barraco montado de lona plástica bem ao lado da mina D"água Chico Targino Foto de Sebastião Tadeu Ribeiro

Pessoas que usam água da mina “Chico Targino” que fica nas proximidades da Avenida João Pereira de Souza, na Vila Alza, procuraram a redação do JS, para pedirem através da Secretaria Municipal de Ação Social, a seguinte e conveniente providência: Conforme alegam, bem ao lado da mina há algum tempo está morando um senhor sem teto, onde montou barraco de lona plástica.

Ele usa a água da mina para se banhar, e tem um cachorro que assusta e até avança nas pessoas que vão com seus vasilhames buscar água para consumo. Conforme afirmam, algumas senhoras que costumeiramente iam buscar água na mina se afastaram pela presença do referido senhor.

A reportagem do “JS” foi até o local e bateu papo agradável e até emocionante com o morador do barraco. Ele nos disse que é nascido e criado aqui em Paraíso, tem cinquenta e poucos anos de idade e vive naquele barraco com ajuda de recursos para sobreviver e alimentação dada pessoas que passam por ali, e também com a venda de produtos recicláveis descartados em vias públicas, que coleta com o seu carrinho de mão, que lhe rende algum dinheirinho.

Disse que seu pai reside em Paraíso, gente muito boa, mas infelizmente por alguns motivos não deu certo de morar com ele, que tem um padrão de vida estável. Disse também que foi casado e hoje se encontra separado. Tem um filho adulto que não mora em Paraíso, mas graças a Deus está bem.

Fica a sugestão para que agentes da Secretaria Municipal de Ação Social tomem as devidas providências com os seus recursos e conhecimento de causa na abordagem, busquem conseguir, arrumar, moradia descente para aquele ser humano no e o retirem da Mina D’água Chico Targino, onde ele corre risco de ser sim atacado por animais peçonhentos e até por vândalos.

Trata-se de necessária ação social que irá permitir que pessoas que se sempre utilizaram a água daquela tradicional mina, e se afastaram, voltem a buscar o precioso líquido.