DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES

Mulheres falam de suas vitórias, conquistas, aspirações e lutas

Mulheres falam de suas vitórias, conquistas, inspirações e lutas
Por: Roberto Nogueira | Categoria: Entretenimento | 07-03-2021 08:33 | 1325
Foto: Reprodução

A data de 8 de março em que se celebra o Dia Internacional da Mulher tornou-se mais do que um momento comemorativo. Também simboliza a luta das mulheres para terem suas condições equiparadas às dos homens, à reflexão sobre as conquistas e a busca por aquilo que ainda não foi alcançado e que é alvo de sonhos e aspirações. O Jornal do Sudoeste ouviu aleatoriamente algumas destas mulheres que acreditam sim, ser este dia reservado para comemorações pelas vitórias já conquistadas.

A mobilização das mulheres resulta da luta por meio de manifestações, greves e outras ações ocorridas ainda no século XX. Narra a história que nos Estados Unidos, 129 mulheres morreram carbonizadas no incêndio “intencional” ocorrido em uma fábrica têxtil. As versões são diversas e há relatos de outras histórias semelhantes reportando a mesma situação. Certo mesmo é que o Dia Internacional da Mulher foi oficializado como data comemorativa pela Organização das Nações Unidas na década de 1970.

Ao longo do tempo a força da mulher vem sendo cada vez mais evidenciada por suas conquistas na sociedade moderna e alcançada por vitórias individuais e coletivas. A igualdade e o não ao preconceito são bandeiras que ainda são erguidas na busca de direitos que as equiparam aos homens no mundo de hoje. Muitas delas já conseguiram chegar a postos antes nunca imaginados e com orgulho celebram suas vitórias, cobram valorização e querem ser inspiração para que os sonhos de outras mulheres também se tornem realidade.

Em São Sebastião do Paraíso a reportagem localizou alguns exemplos destas mulheres que simbolizam a garra, a disposição e a determinação de lutar por seus objetivos em diferentes áreas de atuação. Silvana Biagi, é bacharel em direito e atua como gerente comercial. Ressalta para a reportagem que o 8 de março é sim um dia com muitos motivos para comemorar. “Temos muito que festejar as conquistas obtidas, graças a outras mulheres que lutaram por nós. Continuamos evoluindo e esta força feminina precisa ficar cada vez mais evidenciada, seja no mercado de trabalho, na sociedade ou em qualquer lugar, ela precisa ser valorizada e respeitada”, comenta.

Na mesma linha de pensamento a administradora, Marilene Luciano de Oliveira, enfatiza que as mulheres têm se destacado profissionalmente. “As atuações são cada vez mais diversas e estamos ampliando as possibilidades, pois, temos condições de coordenar qualquer atividade de igual para igual”, avalia. Ela acredita que os tabus e preconceitos estão caindo. “Temos sim que parabenizar a todas as mulheres que estão mostrando que são capazes e empenhar para que as lutas continuem, existem direitos e deveres, há ainda muitas vitórias a serem alcançadas”, diz. Marilene é fundadora do Terno de Congo As Filhas de Paraíso, formada apenas por integrantes mulheres.

Outro exemplo de que independente de suas origens simples, de pessoa batalhadora, produtora rural a mulher deve ir à luta por seus sonhos vem de Maria do Carmo Soares de Souza.  “O Dia da Mulher deve ser comemorado todos os dias, sem ter uma data especial deve ser celebrado mais ainda”, ressalta. Ela destaca que o esforço para se tornar a mulher que é hoje, foi obtido na luta do dia a dia, “todas as conquistas devem ser valorizadas cada vez mais”. Entre os destaques de suas vitórias ela aponta a igualdade, a liberdade de ir e vir. “Hoje a sociedade está mais consciente, os preconceitos são menores, mas antigamente tudo era muito mais difícil. Foi preciso muita dedicação para chegar aonde consegui chegar. Não podemos deixar de sonhar, temos que ir em busca, batalhar e fazer por onde, que Deus realiza”, completa.

Para a jovem Tatiane Cunha de Souza, o momento é de celebração. “É uma data importante a todos nós. Tempo de lembrar todas as lutas pelos direitos alcançados e não desistirmos nunca de sonhos e projetos”, avalia. Como frentista, ela trabalha em um ambiente masculino, mas, garante que não lhe falta o respeito. “Felizmente aqui tenho o respeito dos colegas e dos clientes. O valor do meu trabalho é o mesmo que os demais, faço por onde e por isso me sinto muito feliz por estar onde estou fazendo o que faço sem me sentir inferior” descreve. Na mensagem às mulheres, Tatiane deseja que todas tenham sonhos e vão atrás de seus objetivos. “Que nenhuma de nós nos sintamos desvalorizadas, nunca deixem de sonhar, que cada mulher possa ter metas e objetivos e vão atrás de suas realizações”, finaliza.

Maria do Carmo
Marilene Luciano Oliveira
Silvana Biagi
Tatiane Cunha de Souza