HISTORIADOR

A sela de prata

Por: Redação | Categoria: Cultura | 06-03-2021 14:50 | 81
Foto: Reprodução

O Coronel Francisco Adolfo de Araújo Serra foi Agente Executivo (Prefeito) em 1894 – notável comerciante e agricultor. Implantou em nossa cidade o abastecimento de água encanada, e Paraíso adquiriu o conceito de cidade saudável.

Também incrementou a imigração Italiana, e construiu o atual cemitério. A Família Coronel Francisco Adolfo, mais precisamente seu filho Alfredo Serra construiu belíssimo sobrado para sua residência e a parte térrea para comércio. Foi então que a casa Alfredo Serra em pouco tempo dominava a praça.

No estabelecimento encontrava de tudo, gêneros alimentícios, ferragens, louças, tecidos etc. O movimento era grande, ocupando diversos caixeiros vendedores, principalmente a zona rural que se abastecia na Casa Alfredo Serra. Onde se comprava a prazo e pagava no final do ano.

Certa vez estava exposto uma bela sela de prata, peça rara e cara, pois custava cem mil réis. Um freguês se interessou pela peça e terminou fazendo negócio. Mais tarde o Sr. Alfredo perguntou ao vendedor:

— Foi você que vendeu a sela?

— Fui eu sim Senhor

— E o freguês pagou?

— Não Senhor, mandou pôr na conta.

— Então quem comprou?

— Sr. Alfredo, fiquei tão contente com a venda que esqueci de anotar.

— E agora para quem vamos debitar?

— Procura lembrar para quem foi.

— E à tarde ao fechar a casa, de novo o caso da sela.

— Já se lembrou quem foi que levou a sela?

— Tentei lembrar, mas não consegui.

— Então para não ficar no prejuízo vamos fazer o seguinte: chamou o escriturário e ordenou: debita uma sela de cem mil reais na conta de todos os fregueses, e no acerto aquele que não reclamar é o que comprou a sela, e os que reclamarem se dirá que foi engano.

Assim foi feito, o que não se sabe é quantos fregueses pagaram a sela!

Com o passar do tempo, sua casa comercial entrou em decadência até fechar as portas. Apenas conheci o comercio que veio posteriormente neste prédio, era a Casa Americana sendo proprietários Chiquinho Moura e Carlos Gaspar, onde trabalharam o Antônio Martins e o simpático sanfoneiro José Martins.

Hoje o sobrado que pertenceu à família Alfredo Serra é o Clube Paraisense.

Sebastião Pimenta Filho
- Cronista – Historiador