HISTORIADOR

As Joias de Lily Marinho

Por: Redação | Categoria: Cultura | 03-04-2021 00:23 | 168
Roberto Marinho e Lily Marinho
Roberto Marinho e Lily Marinho Foto: Reprodução

- O que fazer quando os colares de esmeraldas são tantos que você até se confunde? Ou quando as águas-marinhas dignas de uma rainha, perdem o encanto? Quando seu estilo não combina com pingente de diamantes de 38 quilates? Caso algum dia a leitora venha ter esse tipo de problema, a resposta é fácil: leve os preciosos excedentes a leilão.

Quando famílias muito ricas vendem alguma coisa, só existem dois lugares aonde podem ir: a Sotheby’s ou a Cristie’s, as duas mais famosas casas de leilão do mundo.

É o que aconteceu tempos atrás. Na Sotheby’s de Genebra na Suíça, foi leiloada a coleção de joias que Lily Marinho, esposa de Roberto Marinho que faleceu em 2003, dono da TV Globo. Em Genebra, a estimativa é que as 64 joias de Lily tenham arrecadado oito milhões de francos suíços.

A viúva Lily, protagonizou com Roberto Marinho, das Organizações Globo, uma história de amor tardia, mas pontuada por preciosidades. Certa ocasião ela disse: “Eu era feliz, e sabia. Roberto era muito generoso.” Brinca.

Também foi a leilão, o par de brincos de brilhantes mais de 11 quilates, o broche de coral em forma de cabeça de carneiro enfeitado com diamantes e esmeralda. Já o color de ouro com brilhantes em formato de gola, outro presente de Marinho, ela usou muito pouco: “Não combinava com meu estilo.” Mas ela pretende ficar com pouca coisa – “Umas vinte peças, para usar no dia-a-dia.”

Esta hoje caro leitor, é a “pobre” TV Globo, que dispensa seus melhores artista, e aponta denúncias de tudo e todos. E sabem por que? Porque parou de mamar nas tetas do governo. E ainda amedronta o humilde povo brasileiro, que está acuado de todos tipos problemas!

- Sou a favor de denúncias, mas sem fins políticos e retaliação em proveito próprio, para que volte suas falcatruas milionárias que recebia do governo a custa do povo brasileiro!

É nas adversidades que devemos fazer algo a nós mesmos e também aos outros, como há tempos a TV Bandeirantes e outras entidades campanha de gêneros alimentícios em favor dos mais necessitados.

Sebastião Pimenta Cronista
– Historiador -